ad

Humilhada no dia de seu casamento, depois de seu marido confessar tê-la traído, uma técnica em enfermagem de Galiléia, cidade a 63 quilômetros de Governador Valadares, em Minas Gerais, entrou na Justiça contra os dois “puladores de cerca” e ganhou uma indenização de R$ 25 mil por danos morais. A decisão é da 14ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

A noiva soube da traição no dia do casamento Foto: Divulgação
A noiva soube da traição no dia do casamento Foto: Divulgação

A mulher e o homem namoravam desde outubro de 2007. O casamento ocorreu em 19 de dezembro de 2009 e, nesse mesmo dia, a noiva recebeu uma ligação de uma mulher dizendo que tinha um caso com o noivo. A noiva procurou o então marido, que negou. Mas ela acabou encontrando cartas e mensagens da amante no celular dele, que acabou não tendo mais saída a não ser confessar. O casal acabou se separando dez dias após o casamento. Logo depois, o homem foi morar com a amante.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A técnica em enfermagem entrou na Justiça em abril de 2011. O desembargador Antônio de Pádua entendeu que não há dúvida quanto à configuração do dano moral. Segundo afirmou o magistrado, foi comprovado no processo que a amante realmente fez contato com a noiva no dia do casamento, dizendo ser amante do noivo. Foi demonstrado também, segundo o relator, que o fato “teve enorme repercussão negativa na cidade, já que a separação apenas dez dias após o casamento virou assunto entre os moradores da região” e também que, antes mesmo da concretização do divórcio, o homem e amante já estavam morando juntos, “o que agrava ainda mais a situação.”

Fonte: Extra