Rosana de Oliveira Golart confessou à Polícia Civil do Mato Grosso que matou seu filho de dois anos, cujo corpo foi encontrado em 19 de março de 2013 em um canavial na zona rural de Tangará da Serra. Ela admitiu ter agido sozinha, isentando seu companheiro, Paulo Edson da Silva, 43 anos.

mãe-confessa-que-matou-o-filhoDe acordo com a delegada Liliane Diogo, a mãe de 18 anos detalhou o assassinato do próprio filho, morto com golpes de um pedaço de madeira em um canavial a cerca de 450 metros da casa da família.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O corpo da criança foi levado até um ponto mais distante do terreno, onde foi abandonado. A polícia concluiu que o menino ainda estava vivo quando foi deixado pela mãe, tendo falecido em decorrência de choque hipovolêmico (perda de sangue).

O laudo pericial também indicou que a criança foi violentada sexualmente. A mãe confessou os abusos, e a polícia acredita que eles tenham sido cometidos com o intuito de desviar de si o foco das investigações.

Rosana e Paulo haviam sido presos na quarta (17) em Tangará da Serra. A partir da confissão da mãe, o padrasto da criança considerado inocente e deve ser posto em liberdade. Ele negou envolvimento no assassinato, informação que confirmou o caminho das investigações e da confissão da mãe.

“Sabíamos que tinha sido alguém da família, mas ainda não tínhamos certeza de quem. Por isso, pedimos a prisão dos dois. A confissão da mãe bate com nossas investigações e os laudos periciais. Concluímos então que ela não está mentindo. Mas vamos continuar investigando”, declarou a delegada.

Fonte: Terra