ad

Uma menina de 12 anos inventou para a polícia que foi estuprada e ficou grávida de seu padrasto em Campo Grande (MS). De acordo com o delegado Elton Galindo, titular da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA), a garota mentiu por raiva do homem, que agrediria ela e os irmãos constantemente. O caso, investigado desde terça-feira, foi esclarecido nesta sexta-feira, quando a menina confessou que inventou a história.

“A garota foi apresentada a nós pelo Conselho Tutelar, na companhia da mãe e dos irmãos, e disse que era estuprada pelo padrasto desde os 8 anos e que estaria grávida. Fizemos a entrevista psicológica, ela confirmou novamente. Então fizemos o exame de corpo de delito e o teste laboratorial para gravidez. Ambos deram negativos, ou seja, ela é virgem e não está grávida”, disse o delegado.

exame nega a gravidez
exame nega a gravidez

Conforme Galindo, na tarde de hoje a menina foi levada novamente à delegacia e confessou que mentiu.  “Diante dos testes, ela disse que inventou a história porque ficou com raiva. Ela afirmou que sofria maus-tratos por parte da mãe e do padrasto”, disse.

De acordo com o delegado, o padrasto, que tem um mandado de prisão em aberto por homicídio, deverá ter o inquérito por estupro de vulnerável arquivado. O procedimento por maus-tratos, no entanto, prosseguirá. Segundo Galino, o advogado do suspeito informou que apresentará seu cliente na delegacia na manhã desta sexta-feira. A mãe também será investigada por maus-tratos.

A garota e seus irmãos estão em um abrigo público. Como tem 12 anos, a menina responderá, como adolescente infratora, pelo ato infracional análogo à denunciação caluniosa. Se a Justiça decidir pela culpabilidade, ela pode ser encaminhada para uma Unidade Educacional de Internação (Unei), como medida socioeducativa.


ad