ad

Policiais Militares lotados em Japorã, Município lotado no extremo sul de Mato Grosso do Sul, na fronteira com o Paraguai e próximo à divisa com o Paraná, apreenderam na manhã de sexta-feira (15), uma arma austríaca, mais precisamente uma pistola Glock, nove milímetros, com duas munições intactas, que foi utilizada na morte de um cidadão e na tentativa de homicídio de outro.

Eram quase dez horas, quando uma pessoa ligou para o fone de emergência da Polícia Militar de Japorã, informado que alguém estava efetuando disparos de arma de fogo em uma propriedade rural, próxima a divisa com o Paraguai. Durante o deslocamento para a região, os militares abordaram um veículo, que tinha em seu interior, um homem ferido com projéteis. Enquanto o indivíduo era levado às pressas a um hospital de uma cidade vizinha, os militares estiveram na propriedade rural e localizaram o corpo de um homem pardo, de cerca de 60 anos de idade, de estatura mediana e sem documentos ou telefone celular, que permitisse sua identificação.

A esposa do morador da propriedade disse que seu marido estava colhendo mandioca, quando o homem desconhecido, que já havia estado no local dias antes, alegando estar procurando uma espingarda para comprar, chegou e o chamou para conversar em um local afastado.

Em seguida foram ouvidos dois disparos, e após um breve intervalo, foram ouvidos vários disparos. Quando ela então se aproximou, viu seu marido, que tem grande porte físico, sangrando e brigando pela posse da arma, tendo ele efetuado disparos para conter o cidadão. O homem em seguida, cessou resistência e seu marido foi socorrido por familiares para uma unidade de saúde, onde permanece em observação médica com escolta policial.

Policiais Civis e a perícia científica estiveram no local e fizeram o levantamento de praxe. O corpo do falecido seguiu para a necropsia, enquanto que a arma, o carregador, as munições intactas e deflagradas, bem como uma motocicleta Titan, de cor preta, com placa de Santa Catarina, foram encaminhados à Delegacia de Polícia de Mundo Novo, que irá apurar os fatos.

Redação Portal Guaíra


ad