Após investigações que resultaram na Operação Ferrari, a Polícia Federal descobriu que a cidade de Mundo Novo, no Mato Grosso do Sul, funcionava como um dos núcleos de fornecimento de drogas. A operação foi deflagrada para desarticular organização criminosa de tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro em MS e outros 4 Estados.

Conforme as investigações, a organização criminosa comercializava a droga, procedente do Peru e da Bolívia. Após entrar no País, através da fronteira do Paraguai com o Brasil, a pasta base de cocaína era transportada pelos estados de Mato Grosso do Sul e Paraná para posterior refino. Os traficantes se passavam por empresários dos ramos de postos de combustíveis, de transporte e de revenda de veículos.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A operação desencadeada na manhã de segunda-feira (15), cumpriu 49 mandados judiciais, destes apenas quatro não foram cumpridos, sendo que dois são de Mundo Novo, onde duas pessoas se encontram foragidas.

As cidades alvo da operação são Mundo Novo, em MS, Londrina, Cambé, Arapongas, São Jerônimo da Serra e Porecatu, no PR. Também Osasco, Indaiatuba, Hortolândia, Salto, Sumaré, Araçoiaba da Serra e Campinas, em SP, Salvador, na BA e Aquidabã, no SE.

O nome da Operação é em alusão ao estilo de vida luxuosa que os criminosos mantinham como casas em condomínios de alto padrão na cidade de Londrina/PR, empresas para lavagem de dinheiro, automóveis importados e embarcações de luxo, tudo adquirido com o dinheiro do tráfico internacional de drogas.

Balanço

Já foram apreendidos R$ 634 mil em dinheiro, R$ 460 mil em cheques. A Polícia Federal apreendeu também 42 veículos de luxo e dois reboques, 27 caminhões, duas motos importadas de luxo, 37 celulares, uma arma de fogo, 91 relógios e joias.

operacao-ferrari

operacao-ferrari-2

operacao-ferrari-3

Portal Guaíra com informações do site Campo Grande News