A maior quadrilha especialista em furto de cofres do Banco do Brasil, de acordo com a polícia, foi desmantelada e presa em Campo Grande. Ao todo, são 22 integrantes, sendo que 15 permanecem presos na Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros) e os outros sete são investigados no Paraná.

Das seis tentativas de furto na Capital, o bando obteve êxito apenas na primeira, ocorrida na agência do Parque dos Poderes, no dia 3 de março deste ano. Na ocasião o Midiamax apontou que eles levaram cerca de R$ 200 mil.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“Eles não roubam caixas eletrônicos e sim o cofre, em uma ação que dura de dois a três dias. Os bandidos quebravam as paredes e, inclusive, utilizavam guarda sol para coibir o monitoramento. Eles então se rastejavam ao cofre central e pegavam o montante em dinheiro”, explica o delegado Alberto Vieira Rossi, responsável pelas investigações.

QUADRILHA

Em cinco meses, a polícia verificou todo o modus operandi e iniciou as prisões. O cadeirante Joel de Oliveira, 36 anos, foi apontado como um dos mentores intelectuais da quadrilha. “A esposa dele, Adriana Aparecida Miranda, 26 anos, dirigia o veículo para ele e Joel, então, fiscalizava de perto toda a ação. A quadrilha era muito bem dividida, o que dificultava a identificação e já rodou o país cometendo este tipo de crime”, avalia o delegado Rossi.

Em Campo Grande, eles estavam instalados no bairro Dom Antônio Barbosa. “Já no Mato Grosso, eles começaram a comprar carros e aqui compraram casas antigas, mas faziam a reforma e em seguida mobiliavam com TV´s Led e outras coisas que chamaram a atenção. E alguns deles tem histórico no crime desde 2008”, afirma o delegado Rossi.

Um mês após o crime na primeira agência, no Parque dos Poderes, a quadrilha se dirigiu a um Banco do Brasil em Nova Alvorada do Sul, a 120 quilômetros da Capital. Em seguida, voltaram para Campo Grande e as outras tentativas, no dia 6 e 7 de abril, foram nos bancos dos bairros Tijuca e Moreninhas. Já na semana passada, as ações foram em agências da avenida Eduardo Elias Zahran e a Afonso Pena, todas sem êxito, porque segundo a polícia o alarme disparou e eles fugiram.

Em apoio com homens do Paraná e Mato Grosso, a polícia deflagrou uma operação e prendeu também Sérgio Antunes, 25 anos, a sua esposa Marilene de Oliveira, 28 anos, Jonas de Oliveira, 26 anos, Josias de Oliveira, 24 anos, Jair Carlos Lima de Oliveira, 29 anos, Izequiel Santos da Costa, 27 anos, cunhado de Josias e irmão de Gislaine da Costa Felis, 24 anos, Giliano Ribeiro Alves, 25 anos, João Maike Miguel Correa, 20 anos, Ezaul de Oliveira Trindade, 20 anos, Jeferson Bruno dos Santos, 21 anos, Efraim Renan dos Santos Morais, 21 anos e Marcos Tiago Oliveira de Moraes, 21 anos.

Com eles também foram apreendidas ferramentas para um novo furto, além de cinco veículos e milhares de moedas do roubo a uma agência do Mato Grosso. A polícia agora continua com as diligências para prender os outros sete integrantes.

Maior quadrilha especialista em roubo ao Banco do Brasil é presa em Campo Grande

Fonte: Midiamaxnews