A grávida morta com tiro na cabeça, em Caarapó (MS), na madrugada de segunda-feira (23) foi assassinada pelo próprio irmão, aponta a Polícia Civil. Uma familiar dos irmãos chegou a dizer que a jovem de 28 anos havia morrido no lugar do irmão, ao protegê-lo do disparo. Porém, a investigação policial revelou o contrário.

Segundo a Polícia Civil, Angel Luama Pinto de Oliveira e o irmão, que não teve o nome divulgado pelas autoridades, estavam ingerindo bebidas alcoólicas em um estabelecimento na noite de domingo (22). Logo nas primeiras horas de segunda-feira, os dois saíram e durante o trajeto tiveram uma discussão.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O irmão então sacou um revólver que portava na cintura e efetuou um disparo contra a cabeça da irmã, diz a polícia. Após o fato, ele fugiu do local antes da chegada dos socorristas e da Polícia Militar.

Após o período de flagrante, o homem foi até a delegacia e disse que uma outra pessoa atirou na irmã dele. Porém, confessou que apontou a arma na direção da cabeça e apertou o gatilho, alegando que acreditava que a arma estava sem munição.

A polícia conseguiu localizar a arma do crime e o homem teve a prisão preventiva decretada pelo delegado que acompanha o caso, Silvio Ramos Pereira. Ele foi preso na tarde desta quarta-feira (25) e encaminhado ao presídio da cidade.

“Agora, com a prisão do suspeito, nós temos 10 dias para concluir a investigação e encaminhar para a justiça. Mas, baseado em elementos de prova que foram colhidos até agora, nós temos indícios suficientes de autoria e prova da materialidade para solicitar a prisão preventiva dele”, explica o delegado ao g1.

Entenda o caso
Angel Luama Pinto de Oliveira, 28 anos, foi executada na madrugada de segunda-feira (23), em Caarapó (MS). Conforme a polícia, ela foi atingida com um tiro na cabeça, chegou a ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros, mas veio a óbito no hospital.

Conforme uma familiar da vítima, ela estava grávida de seis meses e o bebê também morreu. “Tentaram salvar a criança, mas não teve jeito. Morreu também”, lamentou uma familiar da vítima.

De acordo com o registro policial, a vítima foi atingida por disparo de arma de fogo na cabeça, por volta de zero hora. Ela foi levada até o Hospital São Matheus pelo Corpo de Bombeiros, porém não resistiu aos ferimentos e morreu momentos depois.

Portal Guaíra com informações do G1