(Foto: Guia Medianeira)

Em decisão publicada no final da tarde deste domingo (17), atendendo a pedido formulado pelo Ministério Público, o Poder Judiciário decretou a prisão preventiva do motorista encontrado embriagado e sem habilitação para dirigir, e que tirou a vida de Tiago Henrique Butske.

O batida entre dois veículos aconteceu na Linha São João, interior de Missal. O Corsa seguia de Missal à Itaipulândia e capotou. Já o veículo Uno, que seguia sentido oposto, pegou fogo e o condutor morreu carbonizado.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A Justiça considerou que a embriaguez do motorista, aliada à ausência de CNH em período de isolamento social, atrelado ao fato de que a forte colisão indica o emprego de alta velocidade em rodovia vicinal, são circunstâncias que caracterizam o dolo eventual, e nesse caso “homicídio doloso” – quando há intenção de matar, por assumir o risco de produzir o resultado, ou mostrar-se indiferente a ele.

A prisão preventiva não tem prazo definido e pode durar por toda a tramitação do processo.

A decisão foi proferida na tarde de ontem em Plantão Judiciário Regional, que neste final de semana está sob responsabilidade do Juízo Criminal da Comarca de São Miguel do Iguaçu.

Portal Guaíra com informações do Guia Medianeira