[dropcap color=”#dd3333″]D[/dropcap]ois adolescentes de 15 anos, apontados como autores do atentado ao colégio João Manoel Mondrone, em Medianeira, foram condenados pela Vara da Infância e Juventude a internação por tempo indeterminado em Cense (Centro de Socioeducação).

A sentença, do juiz Hugo Michelini Júnior, foi publicada na quarta-feira (31). Na decisão, o magistrado determinou que os dois adolescentes passem por avaliação periódica a cada seis meses, durante tempo de internamento.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Apesar de o juiz não definir o internamento, o tempo não deverá ser superior a três anos, conforme determina o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). Os jovens seguem internados no Cense de Foz do Iguaçu, desde o dia do atentado, ocorrido no dia 28 de novembro.

O advogado de defesa de um dos réus afirmou que a sentença é “desproporcional”, uma vez que, em sua opinião, as condutas dos dois jovens não foram individualizadas. O advogado deve entrar com recurso junto ao TJ-PR (Tribunal de Justiça do Paraná), já no início da próxima semana, na tentativa de reverter a decisão.

A reportagem não conseguiu contato com o advogado do outro jovem.

Na sentença, o pai de um dos adolescentes também foi condenado por porte ilegal de arma de fogo. A garrucha que ele possuía foi utilizada pelo filho no atentado. O tempo de condenação, no entanto, não foi informado.

O ATENTADO
No dia 28 de setembro, por volta das 8h30, dois adolescentes de 15 anos, armados com uma garrucha calibre 22, muita munição e com uma bomba caseira invadiram o Colégio José Manoel Mondrone na intenção de ferir vários alunos.

Dois alunos ficaram feridos, um recebeu alta ainda no dia do crime. Os dois envolvidos foram apreendidos e encaminhados ao Cense de Foz do Iguaçu. O motivo do crime, segundo os adolescentes, seria práticas de bullying.

Portal Guaíra com informações da Catve