Um homem suspeito de matar a esposa e enteada, em Maringá, na região norte do Paraná, disse em uma audiência de instrução feita pela Justiça que está arrependido de ter efetuado os disparos contra as vítimas. O depoimento foi dado na segunda-feira (22).

Os crimes aconteceram no começo de novembro de 2020, em uma casa que fica na Zona 4. Valdomiro Campos, de 57 anos, é investigado pelas mortes de Francielle Cristina Orioli, de 39 anos, e Elizabeti Orioli, de 62 anos.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A RPC teve acesso com exclusividade aos vídeos do depoimento. Durante a audiência, Campos disse que estava se defendendo durante uma discussão e manteve a versão de que os tiros foram acidentais.

“Eu estava com a bolsa na mão, com a minha pasta de documentos e o revólver, do jeito que eu peguei, puxei e atirei dois disparos. Não vi onde pegou”, disse.

Campos disse que a discussão começou por causa de um sobrinho que estava dormindo na cama dele. Questionado sobre o motivo de ter pego a arma de fogo, o suspeito disse que foi empurrado pelas vítimas.

“Acho que não deveria ter acontecido o que aconteceu. Eu me arrependo muito do que eu fiz. O que eu fiz foi errado”, afirmou.

O caso
A confusão aconteceu durante uma festa de aniversário e de casamento feita por Campos. A enteada do suspeito morreu no local. Já a esposa foi socorrida, mas acabou morrendo 15 dias depois.

Após os disparos, segundo a polícia, o suspeito fugiu em um carro e acabou preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na PR-444, em Arapongas, a cerca de 60 quilômetros do local do crime.

De acordo com a PRF, Campos não ofereceu resistência e confirmou que havia efetuado disparos contra a esposa e a enteada.

A arma utilizada no crime, um revólver calibre 32, foi encontrada sob um banco do veículo, com duas munições deflagradas e quatro intactas. O revólver não tinha registro, segundo a polícia.

Portal Guaíra com informações do G1