ad

A sessão de ontem (19) do Poder Legislativo de Marechal Cândido Rondon foi marcada pela primeira votação dos projetos de lei que preveem os reajustes salariais dos servidores municipais, bem como do prefeito, vice-prefeito, procurador geral e dos vereadores.

O reajuste de 3,6% dos salários dos servidores ocupantes de cargos, funções e empregos públicos da administração direta, da Câmara Municipal e do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), bem como dos inativos e das pensões pagas pelo Município, foi aprovado, em primeira votação, por unanimidade dos vereadores presentes à sessão.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Do percentual aprovado, 3,43% refere-se ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) acumulado de janeiro a dezembro de 2018. Já 0,17% trata-se de reposição real das perdas salariais.

Também foi aprovado o reajuste de R$ 385 para R$ 445 do auxílio-alimentação a que têm direito os servidores municipais.

Por outro lado, o projeto de lei 07/2019, do Poder Executivo Municipal, que previa o reajuste de 3,43% da remuneração do prefeito, vice-prefeito, secretários municipais e procurador-geral foi reprovado por 6 votos a 5.

Votaram contra a revisão dos salários os vereadores Adriano Backes, Adriano Cottica, Arion Nasihgil, Gordinho do Suco, Josoé Pedralli e Ronaldo Pohl.

Na sequência, foi votado o projeto de lei 04/2019, de autoria do Poder Legislativo Municipal, que previa a revisão salarial dos vereadores também no índice de 3,43%. O reajuste foi reprovado por unanimidade dos vereadores.

Debate
A reprovação do projeto relativo aos salários do prefeito, vice-prefeito, secretários municipais e procurador-geral aconteceu após debate sobre o índice de reajuste salarial aos servidores, proposto pelo Poder Executivo.

A base de apoio do governo municipal afirmou que o índice proposto foi acordado entre o Poder Executivo e a diretoria do Sindicato do Servidores Municipais (Sinsemar).

Por outro lado, na avaliação dos vereadores das bancadas de oposição e de centro, o índice era muito baixo. Isso motivou estes vereadores, que formam a maioria, a votarem contra os reajustes dos salários do prefeito, vice-prefeito, secretários municipais e procurador-geral.

“Quando estamos dando apenas 3,6% de reajuste aos servidores, acho que os cargos eletivos e indicados podem abrir mão desse reajuste”, afirmou Ronaldo Pohl, antes da votação do projeto, que recebeu 6 votos contra e cinco favoráveis.

Na votação do reajuste dos próprios salários, todos os vereadores decidiram também “cortar na própria carne” e reprovaram o projeto de lei. Ou seja, os salários dos vereadores em 2019 serão os mesmos do ano passado.

Portal Guaíra via Assessoria