ad

[dropcap color=”#81d742″]O[/dropcap] advogado do vereador Adelar Neumann, Christian Guenther, emitiu uma nota oficial sobre a prisão de seu cliente ao meio-dia de hoje (4), em flagrante, pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), no momento em que recebia cerca de R$ 2 mil de um servidor comissionado de Marechal Cândido Rondon. Segundo o Ministério Público, o dinheiro seria parte de um “Rachid” que o servidor seria obrigado a fazer com o vereador para poder continuar no cargo, uma vez que teria sido indicado pelo parlamentar.

Segundo o advogado Christian Guenther, os fatos envolvendo o vereador Adelar Neumann estão em fase inicial de apuração.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

EMPRÉSTIMO
Em nota ele disse que, segundo relatado pelo vereador, o mesmo teria efetuado “um empréstimo para a esposa do denunciante [servidor] e este teria efetuado o pagamento de uma parcela da dívida com o dinheiro que foi apreendido”.

SEM INDICAÇÃO
O advogado conta que o vereador nega que o denunciante tenha sido contratado pela Prefeitura de Marechal Cândido Rondon-PR por sua indicação, porque quem faz as nomeações é o Chefe do Poder Executivo Municipal e não os vereadores.

SURPRESA
A nota diz ainda que o “vereador apontou surpresa com as alegações de “mensalinho”, inclusive porque a sua relação com o Paço Municipal anda conturbada desde os fatos envolvendo a recente eleição da mesa diretiva da Câmara”. A defesa ainda não teve acesso a toda a investigação.

AUDIÊNCIA
O vereador segue detido porque o Delegado não pode arbitrar fiança. A audiência de custódia deve acontecer amanhã (5).

RELAÇÃO ESTREMECIDA
De tudo isso, uma coisa é certa: ultimamente a relação entre o vereador Adelar e o Executivo Municipal anda bastante conturbada desde a eleição da Câmara Municipal de Marechal Cândido Rondon, quando Adelar apoiou o candidato a presidente da oposição e não o do governo municipal. Portanto, a princípio, o Executivo não teria motivo algum para manter qualquer comissionado indicado por Adelar em seu quadro de servidores nos chamados cargos de confiança. Mas essa é apenas uma constatação.

Portal Guaíra com informações de A Gazeta Web