ad

Na manhã de hoje (11), na sede do Poder Legislativo de Marechal Cândido Rondon, foi realizada a primeira instrução para ouvir os depoimentos de testemunhas arroladas pela comissão processante do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, que apura supostas irregularidades que teriam sido cometidas por Dorivaldo Kist (Neco).

O vereador é acusado de exigir parte do salário de uma funcionária da Prefeitura, que teria sido indicada por ele ao cargo comissionado na administração municipal. Os fatos teriam ocorrido em 2017.

Além de ouvir a suposta vítima, foram tomados outros cinco depoimentos. Entre eles o do ex-secretário municipal de Governo, Walmor Mergener, e do atual assessor do vereador, Paulo Kurtz. Uma ex-assessora de Neco foi desqualificada como testemunha e ouvida na condição de informante do caso, por ter desavenças pessoais com o vereador.

O vereador Arion Nasihgil, que também havia sido arrolado como testemunha, foi dispensado de dar depoimento.

Outra testemunha, que mora no Mato Grosso, não compareceu. Em razão disso, uma nova instrução está marcada para o próximo dia 19, quando mais testemunhas também serão convocadas. O último depoimento será o do vereador Neco.

A comissão processante é formada pelos vereadores Josoé Pedralli (presidente), Adriano Cottica (relator) e Vanderlei Sauer (membro).

Na defesa do vereador Neco atua o advogado Giovani Miguel Lopes.

Após as instruções de todas as testemunhas, os próximos passos serão a apresentação das alegações finais das partes, conclusão do relatório e votação do mesmo na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar.

Após isso, a decisão pela cassação do mandato do vereador Neco ou o arquivamento do processo será feita por votação em Plenário.

Portal Guaíra via Assessoria