“No início da vacinação, a transferência de dados sobre as doses aplicadas demorava a chegar ao Ministério da Saúde e o lote mencionado na reportagem foi recebido no dia 24 de janeiro de 2021, na 2ª remessa de vacinação contra a COVID-19. Os referidos imunizantes foram destinados ao grupo prioritário “profissionais da saúde”, como primeira dose. Todas as doses do referido lote foram aplicadas até o dia 09 de fevereiro de 2021”.

A manifestação é da secretária municipal de Saúde de Marechal Rondon, Marciane Specht, em razão de notícia publicada pelo jornal Folha de São Paulo, que supõe a aplicação de doses vencidas da vacina da Fio Cruz/Astrazeneca em inúmeros municípios.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Marciane informou que as supostas vacinações com imunizantes vencidos, citadas na reportagem, constam como segunda dose. Ao procurar os registros, segundo a secretária, verificou-se que uma das datas destinadas em sistema, não confere com o cronograma de vacinação realizado. Ela disse ainda que o outro cadastro está desconforme com o lote que de fato foi aplicado no dia da vacinação.

A secretária rondonense garante que não houve vacinação de doses vencidas em Marechal Rondon, e sim erro no sistema do SUS. “A população pode ficar tranquila, pois a reportagem está equivocada. Estamos atentos e vigilantes, com total controle sobre todos os cuidados em relação à vacinação no município”, concluiu.

Portal Guaíra via Assessoria