Juliana Stofela da Costa, Promotora de Justiça de Marechal Rondon (foto: Gilmar Angelo/Portal Rondon)

A Promotora de Justiça, Juliana Stofela da Costa, responsável pela “Operação Tentáculos” em Marechal Cândido Rondon, concedeu entrevista coletiva na tarde de quinta-feira (26) e deu detalhes das investigações da operação que foi deflagrada na manhã de ontem em Marechal e Maripá.

No total foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão, sendo 10 em Marechal Rondon e 2 em Maripá.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Foram apreendidos vários documentos, três armas de fogo e mais de 10 mil reais em dinheiro. Três pessoas foram detidas.

Segundo a promotora, a investigação vem se estendendo há pelo menos dois anos, após o Ministério Público receber informação anônima denunciando uma empresa que prestava serviços de recolha de galhos e entulhos no município.

O foco da investigação era um procedimento licitatório de uma empresa que prestava serviço de recolha de galhos e entulhos e nós descobrimos através de diligências de campo que a empresa não prestava o serviço. Quem prestava era o município e a empresa recebia como se tivesse prestado”, disse a promotora.

Conforme ela, a partir deste momento outras pessoas e empresas passaram a ser investigadas.

Foram incluídos outros investigados que tiveram contato com os ‘alvos’ iniciais da operação. Para a continuação da investigação, o Gaeco deflagrou a operação de hoje, a fim de levantar detalhes e materializar supostas condutas ilícitas dos procedimentos licitatórios “Nós apreendemos vários procedimentos licitatórios, notas de empenho, enfim, documentos relacionados aos pagamentos desses contratos das licitações investigadas. Agora nós vamos analisar toda esta documentação para uma possível confecção de denúncias criminais. Caso comprovadas as suspeitas, podem ocorrer prisões e afastamento de pessoas que ocupam cargos públicos”, destacou.

Segundo a promotora, pelo menos quatro licitações são investigadas em Marechal Cândido Rondon e duas em Maripá.

Agora iremos analisar a documentação e se necessário incluir outras pessoas que estejam envolvidas.
A previsão é de que os trabalhos de análise de documentos sejam finalizados em 60 dias, a partir de então, tendo novos desdobramentos” finalizou.

Detidos

Pela manhã, três pessoas foram detidas durante o desenrolar da operação. Entre os detidos, o prefeito de Maripá, Anderson Bento Maria. Os policiais encontraram um revólver calibre 38 em sua residência.

O outro detido é o empresário rondonense Ivan Kist, pois em sua chácara na Linha Belmonte, os agentes encontraram uma escopeta calibre 12, além de várias munições, algumas inclusive importadas. O chacreiro que estava no local no momento da abordagem também foi detido.

Vale ressaltar que as detenções ocorreram em virtude da apreensão das armas de fogo e não estão relacionadas com o objeto da investigação que seria fraude e sonegação.

Juliana Stofela da Costa, Promotora de Justiça de Marechal Rondon (foto: Gilmar Angelo/Portal Rondon)
Juliana Stofela da Costa, Promotora de Justiça de Marechal Rondon (foto: Gilmar Angelo/Portal Rondon)

Portal Guaíra com informações do Portal Rondon