Sede do BPFron em Marechal Cândido Rondon (foto: O Presente)
ad

De repente o Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron), que tem sua sede em Marechal Cândido Rondon e três companhias, sendo uma no próprio município rondonense, outra em Guaíra e uma terceira em Santo Antônio do Sudoeste, virou o alvo de uma discussão. Tudo começou no domingo (27).

Durante entrevista à imprensa, na Expo Rondon, o ex-governador e senador Roberto Requião (PMDB) afirmou que “essa história de Batalhão de Fronteira é uma bobagem” e disse que é preciso policiamento na fronteira. Em uma de suas declarações, Requião falou que “Batalhão é um aglomerado de soldados que vão ficar engraxando bota de coronel, fazendo almoço, jantar, ofícios e atividades burocráticas”, e acrescentou que “Batalhão para engraxar bota de oficial não tem nenhuma utilidade”.

A criação do BPFron foi aprovada em 1998, pela Assembleia Legislativa, a partir de um projeto de lei de autoria do deputado estadual Elio Rusch (DEM). A sua implantação, no entanto, ocorreu somente em 25 de julho de 2012, no aniversário de Marechal Rondon.

Na terça-feira (29) a reportagem do Jornal O Presente conversou com o parlamentar para saber sua opinião diante das críticas do senador.

Para ele, Requião deixou muito claro que não quer segurança na região de fronteira. “Ele brinca com a população do Oeste do Paraná e faz gracinha ao dizer que o Batalhão de Fronteira só serve para engraxar bota de coronel. Não é justo isso quando toda sociedade reclama por segurança, a qual ainda falta, pois ainda vivemos com assaltos e intranquilidade, mas o governador Beto Richa foi a pessoa que tomou a iniciativa de implantar o Batalhão de Fronteira”, declara.

O deputado estadual Ademir Bier (PMDB), por sua vez, comentou que o Batalhão de Fronteira é importante para toda a região do Oeste do Paraná, especificamente na fronteira. Ele lembra que sua implantação, em 2012, foi uma luta de toda a sociedade. “Participamos ativamente deste processo e essa concentração teria que ser como é aqui na nossa região do extremo Oeste. Marechal Cândido Rondon foi contemplado pela sua localização e pelo levantamento técnico. Foi um estudo técnico que apontou o município para ser sede do Batalhão”, argumenta.

O Presente também falou com o prefeito Moacir Froehlich (PMDB). Ele explicou que não estava acompanhando a coletiva de imprensa do senador no domingo, pois como era o anfitrião da Expo Rondon recepcionou autoridades e depois cumpriu compromissos oficiais da festa do município.

O mandatário rondonense comentou que só ficou sabendo das declarações de Roberto Requião pela mídia. Sem querer entrar em polêmica, Froehlich reafirmou que está firme e convicto para lutar e manter o Batalhão em Marechal Cândido Rondon. “Trabalharemos sempre fortemente para que sua construção definitiva seja feita na área que o município doou para o Estado”, afirmou.

Sede do BPFron em Marechal Cândido Rondon (foto: O Presente)

Fonte: O Presente


CLINICA SALUTAR