Estabelecido como uma das maiores instituições de saúde do município, o Hospital Fumagali encontra-se interditado por falta de licenças sanitárias (foto: Gustavo Vieira/O Presente)

Com o acompanhamento de policiais militares da 2ª Companhia, o Setor de Vigilância Sanitária da Prefeitura de Marechal Cândido Rondon promoveu na manhã de quarta-feira (14) a interdição provisória do Hospital Fumagali.

Na ocasião, foi entregue ao proprietário da unidade hospitalar, o médico e ex-vereador Ítalo Fernando Fumagali, a determinação do Ministério Público para que houvesse o fechamento cautelar do estabelecimento.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Segundo o responsável pela Vigilância Sanitária do município de Marechal Rondon, Valdir Ost, tudo começou com uma vistoria feita há alguns meses pelo órgão fiscalizador, em conjunto com profissionais da 20ª Regional de Saúde.

Ele acrescenta que foram constatadas cerca de 43 irregularidades e, embora o Hospital tenha sanado algumas delas durante o prazo estipulado, a interdição se deu porque as principais determinações acabaram não sendo cumpridas.

Estabelecido como uma das maiores instituições de saúde do município, o Hospital Fumagali encontra-se interditado por falta de licenças sanitárias (foto: Gustavo Vieira/O Presente)
Estabelecido como uma das maiores instituições de saúde do município, o Hospital Fumagali encontra-se interditado por falta de licenças sanitárias (foto: Gustavo Vieira/O Presente)

Portal Guaíra com informações de Gladiston Pacheco/Rádio Difusora do Paraná
Foto: Jornal O Presente