Marechal Cândido Rondon recebeu nesta sexta-feira (10), importantes aliados no combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue. Trata-se de três caminhonetes com equipamentos para a aplicação de inseticida para eliminar os mosquitos, o já conhecido fumacê.

Os veículos foram liberados pelo Governo do Estado, através da 20ª Regional de Saúde de Toledo, após vários pedidos feitos pela Secretária de Saúde de Marechal Cândido Rondon, Elveni Capitani Turmina, a Mari.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Apesar de todos os esforços do poder público rondonense, com campanhas educativas, limpeza constante na cidade, atuação forte dos agentes de edemias, inclusive punindo as pessoas negligentes com notificações e multas, o município registra vários casos da doença. Conforme boletim divulgado nesta semana, já são mais de 300 casos confirmados.

A responsável pelo setor de Epidemiologia, Vera Lehr, explica que o número de novos casos está diminuindo, porém a preocupação ainda é muito grande. “Nesta semana tivemos um aumento de casos em crianças. Isso e muito preocupante. Todos temos que continuar fazendo a nossa parte, principalmente os munícipes”.

fumace-marechalrondon

Fumacê

Os veículos responsáveis pelo fumacê iniciarão o trabalho ainda nesta sexta-feira e devem permanecer no município por um período de 30 dias. Primeiramente serão atendidos os bairros com maior número de casos da doença, porém, o inseticida para eliminar os mosquitos será aplicado em toda a cidade.

Pede-se algumas precauções aos munícipes, como cobrir os alimentos e evitar a exposição de animais e de crianças, quando o carro do fumacê estiver passado. Apesar disso, outra indicação é abrir janelas e portas para que o maior número possível de mosquitos sejam atingidos.

Conforme a Secretária de Saúde, a Mari, trata-se de um importante aliado nesta luta. “Foi uma luta muito grande para que tivéssemos este reforço no município. Esperamos que com o fumacê os mosquitos sejam eliminados, porém, os focos de proliferação também devem ser eliminados, e isso é de responsabilidade dos munícipes. O poder público municipal, através de várias secretarias municipais, não mede esforços para combater a dengue. Todos devem fazer a sua parte.

fumace-marechalrondon-3

Último recurso

Não é somente Marechal Cândido Rondon que vive uma epidemia da doença. Municípios próximos também estão com o mesmo problema. Conforme a diretora da 20ª Regional de Saúde de Toledo, Denise Liell Schmitt, o fumacê é o último objeto de combate a doença. “Trata-se de uma ação eficaz, porém o principal recurso é o bloqueio mecânico que é feito através da ação da população, em suas empresas e residências. Percebemos que todos conhecem os perigos da doença e como prevenir, porém está faltando ação efetiva da comunidade. Esperamos que o fumacê colabore no processo de combate ao mosquito”, aponta Denise.

Questionada se com a baixa na temperatura que será registrada nos próximos meses, a doença tende a diminuir, a diretora é enfática. “A doença deve ser combatida durante os 12 meses do ano. Os números apontam que a dengue está presente inclusive no inverno. Por isso, não podemos descuidar”.

fumace-marechalrondon-2

Portal Guaíra via Assessoria