Com a falta de oxigênio, por conta dos aeradores que pararam de funcionar, cerca de 50 toneladas de peixes acabaram morrendo em dois tanques da propriedade (Foto: Cristine Kempp/AquiAgora.net )

ad

[dropcap color=”#dd9933″]U[/dropcap]m agricultor residente na Linha Belmonte, distrito de Novo Horizonte, em Marechal Cândido Rondon, está amargando um prejuízo de cerca de 220 mil reais. Ele perdeu grande parte de sua produção de peixe.

De acordo com informações apuradas pela reportagem, na noite de terça-feira (08) os aeradores não suportaram os tanques cheios de peixe e pararam de funcionar. Horas depois o agricultor percebeu o fato, mas já era tarde, a grande maioria dos peixes já havia morrido. O fato aconteceu, pois, os peixes já estavam acima do seu tamanho normal de venda e a água estava enfraquecida por conta da estiagem. De acordo com o produtor, os peixes estariam prontos para serem comercializados já em outubro, mas a empresa com quem ele tinha combinado a venda acabou não retirando os mesmos. O frigorifico teria levando apenas uma pequena parte dos peixes, com isto os que continuaram no local cresceram ainda mais, chegando a um peso médio de 1,250 kg.

Com a falta de oxigênio, por conta dos aeradores que pararam de funcionar, cerca de 50 toneladas de peixes acabaram morrendo em dois tanques da propriedade.

A esperança do agriculto é conseguir vender os peixes dos outros tanques que não foram afetados para diminuir um pouco do prejuízo e pagar as dívidas de ração que foi utilizada nos tanques.

Máquinas estão no local fazendo a retirada dos peixes mortos e o descarte correto dos mesmos.

Portal Guaíra com informações do Aqui Agora


ad