A próxima audiência sobre o desaparecimento e morte da empresária, Edna Storari está marcada para o dia 3 de março no fórum de Marechal Cândido Rondon. Serão ouvidas sete testemunhas.

Em 20 de setembro do ano passado, Edna fez um último contato com a amiga bem cedo e desde então não foi mais vista. No mesmo dia as investigações conseguiram apurar que no telefone do suspeito, ele trocou mensagens com o filho, dizendo que quando ele chegasse em casa faria o que havia combinado.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

No dia 21 quando ela já estaria morta, mensagens foram enviadas pelo celular de Edna para as filhas dela, mas os erros de grafia cometidos levantaram a suspeita que não era a empresária que escrevia. Neste mesmo dia o marido de Edna enviou outra mensagem para o filho, informando que ao chegar em casa colocaria o ‘negócio’ na Van. A polícia suspeita que seria o corpo da rondonense.

Depois outras atitudes do marido de Edna confirmaram a suspeita da polícia de que ele tinha envolvimento no crime: ele apagou todos os arquivos do celular dela alegando que ela havia viajado para o Paraguai em uma missão e teria pedido que ele fizesse isso; ele também teria tentado pedir que vizinhos deletassem imagens de câmeras de segurança.

Edna mantinha a união estável com o suspeito há oito anos. E segundo apontaram as investigações, havia conflitos de relacionamento entre ela e os enteados.

Portal Guaíra com informações da Tarobá