Mais do que celebrar o aniversário no sábado (3), Janaína Cristina da Silva quer comemorar a vida. Depois de ficar 20 dias internada no Hospital Universitário (HU) de Londrina, no norte do Paraná, por complicações da Covid-19 e passar por uma cesárea enquanto estava intubada, ela está em casa, ao lado do filho, recuperada da doença.

“Eu não quero nada. O maior presente eu tenho, que é a minha vida e a vida do meu filho”, afirmou.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Janaína estava grávida quando teve 90% do pulmão comprometido pela doença e foi parar na UTI, em fevereiro.

Sem melhorar durante o tratamento, os médicos avisaram que ela teria que ser intubada. “Eu entrei em desespero, porque eu tive a certeza que eu ia falecer”, afirmou.

Com o quadro grave da paciente, a equipe do hospital avaliou que o parto deveria ser realizado urgentemente com a mãe intubada.

“Menos de 24h depois dessa intubação tivemos a decisão de fazer o parto, e ela foi encaminhada para a cesárea”, afirmou a médica Raquel Inácio Prado.

Recuperação
De acordo com a médica, o quadro de Janaína começou a melhorar logo após o parto ter sido realizado.

“Ela tinha essa parte do oxigênio muito ruim. Quando ela retornou, ela retornou bem. A gente decidiu logo em seguida em retirar a sedação”, afirmou a médica.

Como Isac, o filho de Janaína, foi encaminhado para a UTI neonatal logo após o parto, a equipe médica começou a se preocupar como seria a reação da mãe ao acordar sem estar com o filho por perto.

“Eu vi que eu estava sem barriga e eu comecei a chorar. Você está intubado e você não consegue conversar. A enfermeira veio e falou ‘calma, mãezinha, seu bebe está bem’ e mostrou a fotinho dele para mim”, lembrou.

Depois de ver o filho por fotos, a recuperação de Janaína dali em diante surpreendeu a equipe. Alguns dias depois, os dois receberam alta.

Em casa, Janaína disse que é grata pela decisão dos médicos em realizar o parto enquanto ela estava intubada.

“Eu não sei se teria a coragem que eles tem, de estar na linha de frente para cuidar as pessoas com Covid-19. Eles são verdadeiros heróis”, disse.

Portal Guaíra com informações do G1