O secretário de obras de Lindoeste, no oeste do Paraná, Gustavo Tomaz da Silva foi preso em flagrante furtando combustível do município, de acordo com a Polícia Militar (PM) e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná (MP-PR).

Segundo a assessoria jurídica da prefeitura, o crime foi descoberto depois de uma denúncia anônima. Após o relato, a administração comunicou o caso ao Gaeco, que passou a apurar o fato com apoio do serviço reservado da PM. Veja outros detalhes da investigação mais abaixo.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O flagrante foi na sexta-feira (17) no momento em que o secretário de obras, junto com um empresário e o filho dele, pegavam o combustível, segundo a polícia. Os outros suspeitos também foram presos.

Ainda de acordo com a assessoria jurídica da prefeitura, o combustível furtado era do tanque de uma caminhonete, que era abastecida toda semana. O combustível era usado em máquinas da secretaria.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a cidade de Lindoeste tem 4,4 mil habitantes. O município está localizo a pouco mais de 40 quilômetros de Cascavel, também no oeste do estado.

Investigação
Conforme a investigação, o secretário anotava na requisição de retirada do combustível uma quantidade, mas abastecia as máquinas com fração menor aos valores fornecidos.

Depois do expediente, ele e o empresário, que comprava o combustível, abasteciam veículos particulares com a diferença que era desviada das anotações.

A investigação ainda não conseguiu apurar há quanto tempo o crime era cometido e nem quando combustível foi furtado do município. O local não possui câmeras de monitoramento.

O secretário de obras deve responder por peculato, crime que é cometido por funcionário público, mediante abuso de confiança.

A Prefeitura de Lindoeste informou que exonerou Gustavo do cargo neste sábado (17) e que vai abrir procedimento administrativo para apurar a denúncia.

Portal Guaíra com informações do G1