O vereador Osvaldino da Silveira comentou, na última sessão ordinária, sobre as visitas técnicas realizadas pelos procuradores do Ministério Público Federal em 13 aldeias indígenas em Guaíra e Terra Roxa. Essa visita gerou 45 procedimentos administrativos e 10 inquéritos policiais. Os processos visam garantir os direitos das populações indígenas, principalmente a dignidade como seres humanos.

Dentre os processos, ele comenta a questão da discriminação racial denunciada em algumas escolas (em que os professores estariam aplicando como castigo a falta de merenda aos indígenas) e também nas redes sociais, sites, jornais. Ele afirma que não acredita que professores possam ter esse tipo de atitude, mas que é algo que deve ser investigado.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------
Osvaldino da Silveira, vereador
Osvaldino da Silveira, vereador

“Essa Casa de Leis já se pronunciou quanto às possíveis demarcações indígenas. Assim como não é justo demarcar terras de legítimos proprietários, que compram, pagaram sua terra e produzem, também não é justo que os órgãos competentes, como a Funai, não ajudem as famílias indígenas que estão em situação paupérrima, humilhante”, pondera Osvaldino.

Sobre a moção de aplauso e congratulações indicada pelo vereador, ele justifica a importância de reconhecer as contribuições da comunidade japonesa para o crescimento de Guaíra, seja através do comércio, da agricultura, sendo pioneiros no município e colaborando desde seu início até os dias atuais.

O vereador Osvaldino ainda parabenizou a Festa das Nações e os lucros obtidos, que irão beneficiar as entidades do município.

Fonte: Assessoria