A Justiça Eleitoral cancelou 59.817 títulos dos eleitores do Paraná que não votaram e não justificaram a ausência nas últimas três eleições. Do total de 67.782 passíveis de regularização, apenas 7.634 ou 11,26% foram regularizados no Estado.

O prazo para regularização expirou no dia 25 de abril. Os dados foram divulgados pela assessoria de imprensa do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na manhã de terça-feira (14). Os números por municípios ainda não estavam disponíveis até hoje, conforme o TSE.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

No Brasil, foram cancelados 1.354.067 títulos, já que, do total de 1.514.621 em situação irregular, apenas 155.663 ou 10,27% foram regularizados.

Detentor do maior número de eleitores com o título passível de regularização, (372.691), o Estado de São Paulo registrou 41.375 pessoas que procuraram os cartórios eleitores para solucionar a situação. Em segundo lugar ficou o Rio de Janeiro, com 13.735 títulos regularizados.

titulo-eleitor

Consequências do cancelamento

Segundo a legislação, o eleitor que tiver o título cancelado ficará excluído da participação no pleito e, sem a prova de que exerceu o voto, justificou a falta ou pagou a respectiva multa, poderá ser impedido de obter passaporte ou carteira de identidade, receber salários de função ou emprego público e obter certos tipos de empréstimos e inscrição.

A irregularidade também pode gerar dificuldades para investidura e nomeação em concurso público, renovação de matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo e obtenção de certidão de quitação eleitoral ou qualquer documento perante repartições diplomáticas a que estiver subordinado.

Próximo passo

Quem não regularizou o título a tempo e constatar que teve seu documento cancelado deverá, a partir de agora, procurar um cartório eleitoral para normalizar a situação.

O eleitor poderá reativar o título, inclusive com o mesmo número do que foi cancelado, após apresentar um documento de identificação, um comprovante de residência e preencher o Requerimento de Alistamento Eleitoral (RAE), além de pagar eventuais multas a fim de ficar quite com a Justiça Eleitoral e obter novamente o seu direito ao voto.

Com informações do Odiario