O plantio convencional aliado à tecnologia está mudando a produção de hortaliças no Brasil. Danilo Barbacena, engenheiro agrônomo e produtor é um dos casos de sucesso no Tocantins, que iniciou um empreendimento voltado ao cultivo de hortaliças, associando o plantio convencional ao uso de novas tecnologias, visando melhorar a qualidade nutricional de seus produtos, dentro das condições do bioma Cerrado.

O empreendimento chamado Horta Cerrado ocupa um espaço de 3 mil m² (0,3 hectares), localizado na região norte de Palmas, zona rural. Na horta, o produtor cultiva cebolinha e coentro, folhosas como alface, couve e rúcula, além de verduras como maxixe, pepino, abobrinha e outras. A produção já é comercializada em supermercados e restaurantes da capital, assim como em bancas de feiras.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“Futuramente, a ideia é expandir essas vendas para a entrega no sistema delivery, apostando na recorrência de planos, no aumento da margem de lucro e na facilidade para levar o produto diretamente à mesa do consumidor final”, explica o produtor.

Tecnologia
O cultivo dos produtos é a partir do plantio convencional com o uso de boas práticas e manejos de cultivos adequados. O produtor utiliza um drone para captar informações de acompanhamento da produção.

“A tecnologia permite gerenciar o controle fitossanitário de pragas, fertilidade do solo, falhas de plantio, relevo da área, visando obter alta produtividade da hortaliça”, explica Danilo Barbacena.

Assistência técnica especializada
Segundo o produtor, a prática, além de possibilitar o cultivo de produtos com menor custo, reflete em alimentos saudáveis e com mais qualidade. “Buscamos sempre o manejo qualificado e tecnificado da produção, mesmo tendo uma pequena área cultivo”, afirma o produtor.

De acordo com o engenheiro agrônomo da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro), Marcos Monteiro, mesmo diante da pandemia da Covid-19, a agricultura segue em constante evolução e a tecnologia utilizada pelo produtor é um exemplo disso, pois o drone disponibiliza um leque de informações que facilitam a tomada de decisões na produção.

“É um momento de aprendizado, precisamos buscar soluções para o negócio e enxergar alternativas como cursos, treinamentos, capacitações e plataformas de comercialização online. Além disso, devem explorar as redes sociais e aplicativos para divulgar seus produtos e alcançar novos clientes”, complementa.

Para o secretário da Seagro, Thiago Dourado, o Governo do Tocantins deseja contar muitas histórias de empreendedorismo, que vêm acontecendo no estado. “Queremos dar visibilidade às ações de pequenos produtores que fomentam emprego e renda, e assim, motivar outras famílias da zona rural a produzir e tirar o sustento do quintal de casa”, afirma Dourado.

Estágios
O contato do produtor com a Seagro veio por meio das redes sociais e uma visita técnica do secretário Thiago Dourado está sendo programada. A intenção do produtor é que o espaço da horta seja um local que possa integrar instituições educacionais locais.

Por meio de estágios técnicos e da condução de experimentos para alunos e acadêmicos de cursos da área agrícola, será possível aliar teoria à prática. Danilo Barbacena tem experiência com pesquisas científicas e experimentação. “Os alunos terão a oportunidade de conhecer os tipos de culturas, pesquisas de campo, além da parte de gestão financeira, do escalonamento da produção e do fluxo de comercialização, por planilhas”, finaliza Danilo.

Portal Guaíra com informações do Canal Rural