ad
Gilmar Reolon ficou três anos escondido na mata se alimentando de frutas e animais

Um mistério de três anos foi esclarecido no início da manhã desta sexta-feira (11). Foi preso na região do Rio Tuna, interior de Francisco Beltrão, o foragido da justiça Gilmar Reolon, acusado pelas mortes de seu pai, em 2009, e o restante da família (esposa, filhos e a sogra), no dia 06 de janeiro de 2010, quando ateou fogo na residência para carbonizar os corpos. Reolon foi encontrado num matagal pelo Soldado Oliveira, do 21º Batalhão der Francisco Beltrão, com auxílio do irmão de Gilmar, Idemar Reolon.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Ambos entraram na mata por volta das 06 horas e encontraram uma cabana de lona, onde Gilmar estava acampado. Conforme o policial, Gilmar estava dormindo e, ao perceber a movimentação, tentou investir contra o polical armado com um facão, sendo dominado pelo irmão, algemado e amarrado numa árvore até a chegada do reforço policial.

Gilmar foi encaminhado ao 21º Batalhão, apresentado à imprensa e posteriormente levado à 19ª SDP. Ele confessou a morte dos familiares.

Contou que matou o pai pra se vingar das agressões que sofreu quando menor. Já a família foi morta porque queria evitar que passassem fome ou vergonha devido ao crime que cometeu e pelas dividas que tinha. Segundo ele, os familiares foram mortos a pauladas na noite anterior ao incêndio da residência.

Gilmar afirma que tentou suicídio depois de matar a família, mas o galho da árvore quebrou. Ele contou que chegou a dormir numa caverna e que abateu bovinos para se alimentar durante o tempo em que ficou escondido na mata.

 

Fonte: Noticias Policiais