O Município de Guaíra, por meio da Diretoria de Educação Especial, da Secretaria de Educação, realizou na última sexta-feira (10), a apresentação do mais novo trabalho da equipe, o Projeto, SOU CAPAZ.

Transtornos e dificuldades de aprendizagem atingem 70% da população, segundo a Associação Brasileira de Dislexia — ABD. A grande parte dessas dificuldades pode ser minimizadas, ou até prevenidas, caso intervenções eficazes e precoces sejam aplicadas.
Diante disso, a equipe de educação viu a necessidade de organizar um projeto voltado ao planejamento estratégico de medidas efetivas na solução das dificuldades vividas pelos alunos em processo de aprendizagem.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A intenção do Projeto SOU CAPAZ: REFORÇO INCLUSIVO ESPECIALIZADO é de contribuir na construção dessas medidas psicoeducacionais dentro da escola, impactando diretamente no desempenho do aluno durante o dia a dia escolar.

Uma das observações que serão analisadas para a elaboração desse apoio ao aluno é a condição vivida diariamente por ele, sendo esta, inclusive, a base e o ponto de partida para as adaptações necessárias à melhora no desempenho acadêmico.

As crianças com ou sem deficiências e transtornos de aprendizagem são o principal foco do projeto. Seu objetivo específico é o atendimento de Reforço Especializado, identificando, elaborando e organizando meios de garantir a acessibilidade para auxiliar as dificuldades de cada aluno. O projeto irá ocorrer no período contraturno das aulas, nas dependências do próprio colégio, garantindo a acessibilidade das crianças na iniciativa.

Para identificar os alunos indicados para o projeto, a equipe de técnicos da Diretoria de Educação Especial, junto aos professores e coordenadores escolares que convivem diariamente com as crianças, realizaram um levantamento geral dos alunos da educação infantil e ensino fundamental, anos iniciais, por uma ficha de referência.

Segundo a diretora de Educação Especial, Elianara Falci, “A análise e o diagnóstico das dificuldades de cada aluno é o principal fator para garantir a inclusão desse estudante dentro do ambiente escolar. É muito mais produtivo procurar investir tempo e esforços fazendo do que esperando. O ponto de partida para o planejamento de estratégias pedagógicas inclusivas deve ser, sempre, a singularidade do sujeito, com foco em suas potencialidades. Não importa se há ou não um diagnóstico de deficiência”.

Com os objetivos definidos, a equipe da Secretaria de Educação promete estreitar ainda mais a parceria com os professores e coordenadores das escolas, que estão à frente das dificuldades e reflexos pós, pandemia dentro da alfabetização das crianças, que apresenta, cada vez mais altos índices de deficiências e transtornos de aprendizagem. “A educação inclusiva não impõe barreiras ao seu acesso aos sistemas de ensino, mas age de forma a olhar além da deficiência, havendo diagnóstico ou não é preciso ir além”, enfatizou a secretária da pasta, Franciele Danelon.

Franciele ainda agradece toda a equipe pelo desempenho em promover ações de avanço na educação, em especial, à professora avaliadora Cassiane Menezes, que coordena o projeto.

Portal Guaíra via Assessoria