Em Guaíra a concentração será na Praça Castelo Branco (Redondo), às 16h (foto: AdrielMarcelo/PG)

ad

Descontentes com o Governo do Estado do Paraná, devido o descaso com os professores e automaticamente com a educação de nossos alunos, o APP Sindicato publicou em sua página na internet, uma carta aberta às mães, pais, responsáveis e a comunidade. Acompanhe na íntegra o que diz a publicação:

“Carta às mães, pais, responsáveis e à comunidade paranaense

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

EDUCADORES(AS) DENUNCIAM CAOS NAS ESCOLAS PÚBLICAS DO PARANÁ

Vimos a público manifestar repúdio ao desrespeito com que o Governador Beto Richa (PSDB) está tratando a educação pública do Paraná. Resultado: o mau uso do dinheiro público e a desorganização na gestão do Estado instalaram o caos nas escolas estaduais.

As escolas iniciam o ano letivo com dívidas, pois o Estado não repassou dinheiro do Fundo Rotativo (repasses de recursos às escolas para despesas com materiais de limpeza e diversos). As escolas estão sem merenda, pois a mesma ainda não foi entregue.

Também há falta de professores, pois não há previsão de contratação de professores/as temporários antes do início das aulas. Quanto aos funcionários das escolas, o Governo demitiu cerca de 3.000 quando o número que havia já não era suficiente. As escolas não terão como funcionar!

Os/as estudantes, no dia 09 de fevereiro, deveriam ser recebidos na escola com toda a estrutura necessária. Infelizmente não será esta a realidade. Encontrarão professores/as e funcionários/as desmotivados/as, pois não receberam valores que são de direito, como auxílio alimentação e 1/3 de férias.

Além disso, o Governo não pagou a rescisão dos contratos de 29 mil professores/as contratados temporariamente (PSS) e tenta aprovar na Assembleia Legislativa retirada de direitos conquistados ao longo dos últimos anos, como o PDE (mestrado para capacitação de professores/as).

Dívidas do Governo com a Educação:

*29 mil professores/as sem pagamento: aproximadamente R$ 130 milhões.

*Salários/valores em atraso de 2014: aproximadamente R$ 90 milhões.

*1/3 de férias: aproximadamente: R$ 150 milhões.

É possível começar as aulas com tanta desorganização? É possível algum profissional, SEM SALÁRIO, trabalhar com carinho e dedicação como a educação necessita?

Pacotaço e Desrespeito atinge toda a população

No final de 2014 o Governador Beto Richa enviou aos (às) deputados (as) vários projetos de lei que aumentaram os impostos para a maioria da população. Aumentou em 40% o IPVA e a tarifa de ICMS de mais de 95 mil produtos.

Repudiamos todo o desrespeito com que o governador Beto Richa e sua equipe de governo têm tratado a educação pública do nosso Estado. Chamamos todos e todas a lutar conosco em defesa da qualidade da educação pública para nossos/as estudantes. Pedimos o apoio a toda sociedade para que os/as trabalhadores/as da educação possam ter condições dignas e humanizadas de trabalho.”

Mobilização em Guaíra na Praça Castelo Branco (Redondo)

Nesta sexta-feira (6), a partir das 08h30, os professores da rede estadual farão uma mobilização na Praça Castelo Branco (Redondo), e convidam pais, alunos e a comunidade em geral que queiram entender o que está acontecendo no nosso Estado no tocante a educação e quais os reais motivos deste caos.

A manifestação dos professores acontecerá na Praça Castelo Branco (Redondo) foto: AdrielMarcelo/PG
A manifestação dos professores acontecerá na Praça Castelo Branco (Redondo) foto: AdrielMarcelo/PG

Portal Guaíra com informações do APP Sindicato