É crítica a situação das principais praças esportivas de Guaíra. O estado de abandono e o vandalismo são apontados como os principais vilões dos espaços públicos e acabam afastando os frequentadores.

É o caso do Ginásio de Esportes da Vila Eletrosul. A situação precária afastou atletas e fez do espaço um lugar para atividades não recomendadas. “Muita gente tem vindo aqui  para beber e usar drogas ilícitas”, conta um morador do bairro, que prefere não se identificar.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A falta de recursos – e atenção – do poder público é um dos fatores determinantes para que esses locais ficassem praticamente sem condições de jogo. O Ginásio Poliesportivo e o campo de futebol de Maracajú dos Gaúchos, na zona rural, ilustram bem essa situação. O gramado se encontra coberto por mato e as traves estão quebradas. Já a quadra está com redes, piso e portões em péssimas condições.

O mesmo acontece com o vestiário do campo de Oliveira Castro. Apesar do bom gramado, a qualidade da construção do vestiário encontra-se comprometida. Nem mesmo o Ginásio de Esportes Robinson Reis escapa. Com cadeiras quebradas na arquibancada, vestiários e banheiros sucateados, e com a quadra comprometida, o ginásio precisa urgentemente de reparos. “O nosso ginásio é antigo e precisa se modernizar se quisermos fazer um bom trabalho esportivo. O piso tem problemas sérios. Sei que faltam recursos, por isso vamos buscar parcerias para modernizar as nossas praças esportivas. O nível hoje é muito ruim. Algumas coisas serão mais fáceis, como os campos de futebol suíço”, comentou Sandro Hermosilla, secretário municipal de Esportes e Lazer.

O prefeito Fabian Vendruscolo espera um bom trabalho de base no esporte municipal. “Queremos fazer um trabalho de revitalização das praças esportivas e, principalmente, de valorização das escolinhas de base, focando num trabalho esportivo e educacional ao mesmo tempo”, revela.

“Na verdade, todas as praças esportivas municipais precisam de cuidados. Uns mais, outros menos, mas todos precisam da nossa atenção. Precisamos contar também com o apoio da população na preservação destes espaços”, concluiu Sandro.

Fonte: Assessoria