ad

ROUBO DE MOTO I
Na madrugada de domingo (6), por volta das 00h05, a equipe da PM, atendendo chamado da central 190, deslocou até uma Praça onde, segundo o solicitante, ele foi vítima de roubo. No local, ele relatou que estava na Praça com sua namorada, quando se aproximou um cidadão (não sabendo repassar características) de posse de uma faca e anunciou o assalto, pedindo a chave da motocicleta Honda CBX 250 Twister de cor vermelha, e fugiu com a motocicleta sentido Av. Cel. Otavio Tosta. Diante dos fatos, a PM orientou o solicitante e realizou buscas na tentativa de localizar a moto, mas sem êxito até o momento.

ROUBO DE MOTO II
Ainda durante a madrugada, por volta das 02h30 em atendimento a determinação da central, a equipe de serviço foi acionada para se deslocar até o Bairro Jardim Dona Tereza onde, segundo o solicitante, um suspeito relatou que estava com sua motocicleta Honda/CG 150 Fan de cor vermelha empurrando, tentando ligá-la nas proximidades da rua Dr. Oliveira Castro, Bairro Vila Rica, momento em que se aproximaram dois homens e se ofereceram para ajudá-lo, Segundo o solicitante esses homens empurraram a moto por alguns metros e quando conseguiram fazer com que ela funcionasse se evadiram tomando rumo ignorado, A PM realizou patrulhamentos no intuito de localizar a motocicleta, porém sem sucesso, a vítima foi orientada dos procedimentos.

ASSALTO A MÃO ARMADA
Por volta das 14h20 compareceu no 3º Pelotão de Guaíra/PR, pai e filha, vítimas de roubo. Relataram que por volta das 12h30 estavam conduzindo seu veículo um VW/Nova Saveiro pela Rua Julieta de França Camargo Iwankiw, quando no cruzamento com a Rua Terezinha Rosseton Correa, no Bairro Colagul, dois rapazes com capuzes, ambos magros, de estatura mediana, um vestindo casaco camuflado, utilizando-se de dois revólveres anunciaram o assalto, levando as vítimas para uma mata próxima daquele local. No mesmo ato surgiram outros dois rapazes encapuzados que auxiliaram os autores, conduzindo o veículo subtraído para longe do local do fato. Os autores que anunciaram o assalto levaram as vítimas por aproximadamente 100 metros da via pública, sendo que durante o período de cárcere mandaram as vítimas ficarem sossegadas que “ele” autor era pai de família e só queria leva o carro. No interior do veículo havia 01 (um) Iphone 8 132gb, de cor dourada, 01 bolsa roxa redonda de couro legítimo iniciais M.C. na cor dourada, 01(uma) carteira de couro legítimo, na cor caramelo com certa quantia em espécie, 01 cartão magnético visa do Banco do Brasil, 01(um) cartão Pernambucanas, documentos diversos, e 01(um) Samsung Galaxy S7 Edge, 01(um) smartphone Marca Blu, de propriedade da vítima. Também contaram que ficaram por aproximadamente 40 minutos com os autores do roubo e quando os autores se evadiram do local, ele [vítimas] entraram em contato com a sua família e logo após com a central de operações da PM. Diante dos fatos foi repassado o fato às equipes policiais que até o momento não lograram êxito em localizar os suspeitos, veículo ou os objetos subtraídos.

LESÃO CORPORAL
As 17h45, a equipe de serviço, por determinação da Central de Operações 190, deslocou até a Rua Paraguai, onde estaria ocorrendo uma briga generalizada. No local, em contato com a vítima, relatou a equipe que tinha acabado de sair de um baile e quando transitava pela Rua Ovalo Bilac, sem saber o motivo, os menores identificados saíram de uma residência e vieram para a direção do solicitante, e começaram a agredi-lo com chutes e socos provocando vários ferimentos na região do braço, cabeça e costas, momento em que a vítima para se defender pegou uma pedaço de madeira e desferiu um golpe contra um deles vindo o acertar na região da cabeça. Já no local foi acionado o SAMU, que prestou os primeiros socorros a vítima e ao adolescente ferido que possuíam ferimentos e os encaminharam até a UPA 24 horas, e os demais adolescentes foram encaminhados para o 3º Pelotão de Polícia Militar, e durante o trajeto os mesmos estavam bastante alterados, vindo a chutar o camburão da PM, e proferindo palavras de baixo calão aos policiais, com a chegada no Pelotão os mesmos ainda estavam bastante alterados e agressivos, onde foi necessário o uso progressivo da força, para conter o adolescente masculino, sendo necessário o uso de algemas. Foi entrado em contato com a mãe deles, sendo que a mesma se recusou a acompanhar os menores, dizendo que não iria deslocar a Delegacia de Polícia Civil, por que os adolescentes deveriam estar em uma festa, que a mesma “lavaria as mãos”. Foi tentado entrar em contato com os responsáveis pelo menor, porém sem êxito, então foi acionado o Conselho Tutelar para que o acompanhasse. Diante dos fatos foi confeccionado o “BO”, a vítima e os adolescentes encaminhados para a UPA para a realização do laudo de corpo de delito, posteriormente para a 13º Delegacia de Polícia Civil de Guaíra para os demais procedimentos cabíveis.

Portal Guaíra com informações da PM