ad

Foram meses de espera, mas hoje, 29 de fevereiro, chegou ao fim o período de piracema (época de reprodução dos peixes) e as atividades pesqueiras na bacia do rio Paraná estão novamente liberadas.

A autorização está amparada na portaria 445/2014 do Ministério do Meio Ambiente, além da instrução normativa do Ibama 26/2009, norma 17 DHN/ 2008 da Marinha do Brasil e portaria 211 do IAP, que garante o veto da pesca na bacia hidrográfica do rio Paraná entre 01º de novembro e 28 de fevereiro.

Entretanto, os pescadores deverão respeitar determinados locais onde a pesca é proibida durante todo ano. São eles: lagoas marginais; a menos de 200 metros a montante e a jusante de cachoeiras e corredeiras; a menos de 500 metros de saídas de afluentes, confluências e desembocaduras de rios, lagoas, lagos e reservatórios; a menos de 1.000 metros a montante e a jusante de barragens de empreendimentos hidrelétricos e a menos de 1.500 metros a montante e a jusante de mecanismos de transposição de peixes.

Também é proibido o uso de boias, galão, João-bobo e cavalinha para montagem de ceva. A pesca da piracanjuba continua proibida, por se tratar de uma espécie ameaçada de extinção.

Para o presidente da Colônia de Pescadores Z13 e coordenador de Pesca do Município, José Cirineu Machado, a liberação era aguardada pela classe. “Nós respeitamos o período da picacema, medida que protege também o futuro dos pescadores, além do equilíbrio do meio ambiente, mas também sabemos que a pesca é uma atividade essencial para muitas famílias. Por isso, hoje é um dia muito especial,”  afirma.

Lago de Itaipu (rio Paraná) em Guaíra/PR (foto: AdrielMarcelo/PG)

Portal Guaíra via Assessoria


CLINICA SALUTAR