No final da tarde de segunda-feira (17), a Polícia Federal divulgou detalhes da Operação Delivery, que desbaratou uma grande quadrilha de contrabando de cigarros, com ramificações no Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

No Paraná, os “QG´s” estavam localizados aqui em Guaíra, também em Cascavel, Londrina e Curitiba.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Em Londrina, pai e filho, que moravam em um condomínio de luxo, foram presos. Informações dão conta de que eles seriam os mentores da organização criminosa, juntamente com uma pessoa conhecida como “Bahia Doido“, este preso em São Paulo.

Segundo as investigações que foram realizadas por mais de um ano, o grupo entrava com os carregamentos pelo Paraná e Mato Grosso do Sul, onde as carretas lotadas de cigarros seguiam para São Paulo.

Na capital paulista, as cargas eram divididas e vendidas no varejo.

Neste período, 37 pessoas foram presas, 65 carretas e caminhões foram apreendidos e mais de 24 mil caixas de cigarros – o equivalente a 12 milhões de maços – foram tirados de circulação. A polícia estima que o prejuízo com o não pagamento de tributos passe de R$ 104 milhões.

Dos 31 mandados de prisão, 21 foram cumpridos em Guaíra, Londrina, Cascavel, Curitiba, São Paulo e Mundo Novo/MS.

Guaíra

O Portal Guaíra apurou que entre os foragidos estão, Roberto Rossati (conhecido como Beto), e o Policial Rodoviário Federal (PRF) Vinicius Simões. Eles já haviam sido presos pela PF e PRF no mês de março, mas foram soltos após o pagamento de fiança.

Até a noite de ontem (18), oito pessoas se encontravam detidas na cadeia pública de Guaíra. A PF não informou se mantém alguém preso.

DELEGACIA-DA-PF-EM-GUAIRA

Redação Portal Guaíra