ad

Um grande público acompanhou hoje (10) no auditório da Unipar em Guaíra, uma audiência pública que debateu a questão de demarcação de terras nos municípios de Guaíra, Terra Roxa e Altônia, que contou com a presença de várias autoridades.

O prefeito de Guaíra, Heraldo Trento, logo no início apresentou um vídeo que tratava de casos de denúncias de que paraguaios estariam se passando por indígenas. A suspeita iniciou na véspera das eleições do país vizinho no ano de 2017, quando a Guarda Municipal foi acionada para acompanhar uma suspeita de irregularidade no transporte de passageiros por taxistas paraguaios, ato não permitido pelo acordo dos municípios da fronteira.

No local os passageiros apresentaram documentos paraguaios e que estariam indo ao seu país votar, e pressionados um pouco mais pela Guarda Municipal de Guaíra, os ocupantes do taxi apresentaram também documentos brasileiros e informaram que residem em uma das áreas ocupadas na cidade e este foi o início dos trabalhos de investigação.

Segundo a administração municipal foram feitos cruzamentos do cadastro de beneficiados por programas federais com dados da Justiça Eleitoral Paraguai e foram constatadas cerca de existiam cerca de 40 irregularidades documentais, onde paraguaios estariam se passando por indígenas brasileiros, com dados e nomes falsos, sendo beneficiados por vários projetos sociais.

Durante a audiência o prefeito Heraldo Trento, aproveitando a presença do Secretario Especial de Assuntos Fundiário (SEAF) e tratado como vice-ministro da agricultura, Luiz Antônio Nabhan Garcia, para pedir apoio ao serviço de inteligência da Polícia Federal para realizar uma força tarefa para ampliar esta investigação, que segundo o prefeito, já conta com uma pilha de 1 metro e meio de altura em papeis.

Ainda em sua fala, o prefeito Heraldo apresentou um mapa onde foi mostrado a todos os presentes, atentando para a área pretendida para acontecer a demarcação, que em Guaíra representa aproximadamente 17% de sua área territorial.

Nabhan Garcia disse o tema da demarcação de terras é tratado com grande seriedade pelo presidente da república, e que ele reconhece que o sucesso nas urnas em 2018 se deve ao empenho dos agricultores de todo país.

Com tom de discurso político, Nabhan fez duras críticas ao Ministério Público que segundo ele, tem feito uma política que atende apenas aos interesses da minorias e ainda afirmou não temer qualquer ação do Ministério Público, mas sim que o MP deveria temer a vontade do povo.

A decisão que retirou das mãos do Ministério da Agricultura a decisão sobre a questão demarcatória, que repassou a FUNAI, também foi pautada por Nabhan, que criticou os partidos de oposição, sobretudo de esquerda, que estariam orquestrados para a continuação do processo de demarcação indígena, e que estão juntos para transformar o país em uma nova Venezuela, mas garantiu que esta decisão é apenas momentânea.

Ainda em sua fala, o Secretário disse que falou hoje, mais cedo, com o presidente Jair Bolsonaro, que pediu para falar aos agricultores da região que seu governo está ao lado deles, e que não será entregue nenhum palmo de terra a “índio” e que as terras que foram entregues ilegalmente, serão retornadas a seus legítimos donos.

Redação Portal Guaíra


CLINICA SALUTAR