Nesta manhã de quarta-feira (27), o Município de Guaíra, por meio da Secretaria de Agropecuária, Infraestrutura e Meio Ambiente, realizou a solenidade simbólica de celebração da marca de 24 milhões de árvores plantadas pela Itaipu Binacional, nas margens do reservatório do Lago de Itaipu.

Para a construção da Usina Hidroelétrica da Itaipu Binacional, foi necessário definir um espaço para servir de área protegida ao longo do reservatório do Lago de Itaipu, além da crianção de refúgios biológicos para a fauna e flora, tanto no Brasil como no Paraguai. Agora, esse espaço conta com mais de 100 mil hectares e contribui significativamente para a segurança hídrica, com benefícios para a empresa e para a comunidade.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Este trabalho teve início no ano de 1979 e continua até os dias atuais. O resultado é fruto do compromisso da Itaipu Binacional com uma parceria estabelecida entre os 16 municípios lindeiros ao longo do Lado de Itaipu, dentre os seus respectivos moradores e trabalhadores da restauração florestal.

O processo foi dividido em 4 etapas. Na 1.ª, entre 1979 e 1981, a empresa fez o plantio de uma linha de árvores chamada “Cortina Florestal”, na divisa entre a propriedade de Itaipu e as áreas lindeiras. Entre 1983 e 1986, os agricultores lindeiros
começaram a participar das ações de restauração no sistema agroflorestal.

Após esse período, entre os anos de 1987 e 1991, a equipe procedeu o enriquecimento da vegetação introduzida na etapa anterior e o plantio de novas áreas por empresas especializadas e contratadas pela Itaipu, em especial na Faixa de Proteção do reservatório.

A quarta e última etapa foi iniciada em 1996 e perdura até os dias atuais, com o trabalho de restauração realizado através de parcerias/convênios de cooperação técnico-financeira com os municípios lindeiros e empresas especializadas.

No ano de 2002, estas áreas protegidas na margem brasileira foram reconhecidas pela UNESCO — Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, como reserva da biosfera da mata atlântica. Em 2019, integraram a zona, núcleo da reserva da biosfera, a mais importante para a conservação e uso sustentável, atestando, na prática, a contribuição e relevância da iniciativa pela preservação ambiental.

Conforme o pronunciamento do diretor-geral brasileiro da usina, general João Francisco Ferreira, ao portal de notícias oficial da instituição: “Na prática, a Itaipu tem, sempre teve e sempre terá uma grande preocupação com o ecossistema e a biodiversidade em todo o seu entorno. Cuidar das questões ambientais também garante a segurança hídrica e energética para o Brasil e para o Paraguai”.

A representante da Itaipu Binacional, Liziane Kadini explicou que é um trabalho completamente catalogado, possível de estratificação e que cria uma linha histórica de restauração de faixas que, senão utilizadas, poderiam estar nos cuidados de invasores que não valorizam o meio ambiente. E com isso, o reservatório que conta com uma área assoreada expressiva, teria apenas uns 50 anos de vida útil. Com o trabalho de plantio de árvores a vida útil do reservatório ultrapassa os 100 anos. Ela ainda esclareceu sobre porque comemorar a marca de 24 milhões de árvores. “Nós não sabemos se atingiremos novas marcas, existia um espaço para ser utilizado e a Itaipu utilizou o plano de arborização para isso. Hoje esse espaço conta com sua população de árvores completa e nesse momento iniciamos o trabalho de manutenção, de repor as que completarão o seu ciclo de vida na natureza. Por isso comemorar os 24 milhões é tão importante. Porque é esse número de árvores que completou um plano de 42 anos”.

Em Guaíra, a celebração da conquista da marca de 24 milhões de árvores plantadas foi realizada no Centro Náutico Marinas, e contou com o prestígio de diversas pessoas, como: prefeito e presidente do Conselho de Municípios Lindeiros, Heraldo Trento; vereador licenciado e secretário de Agropecuária, Infraestrutura e Meio Ambiente, Luis Ferroquina; gerente da divisão de áreas protegidas da Itaipu, Liziane Kadine; ex-chefe do escritório da Itaipu Binacional em Guaíra, Alexandre Araújo; vereadores: José Cirineu, Karina Bach, Mirele Cetto, e Sergio Korb; secretários: Marcelo Ronnie, Antonio Alves, Franciele Danelon, Luis Ferroquina; presidente do clube dos desbravadores, Marcos Barbeiro; sub-oficial da Marinha em Guaíra, Alexandre Freitas; representante da 15.ª CIA de Infantaria Motorizada da 15.ª Brigada, coronel Airton Soares; representante da 2.ª CIA do Batalhão de Polícia da Fronteira, sub-tenente Da Silva; diretor da escola Adventista de Guaíra, Eduardo Jacinto, e alunos; representantes da escola João Municipal João Ambrózio, e alunos; servidores municipais e colaboradores.

Luis Ferroquina declarou a importância da ação para a preservação ambiental em Guaíra, enfatizando a grande parceria entre o poder público municipal e a Itaipu Binacional, na promoção de iniciativas que assegurem a sustentabilidade.

Representando o Poder Legislativo, o vereador José Cirineu ressaltou que as árvores plantadas trarão inúmeros benefícios para as gerações futuras, com destaque no público infantil escolar presente na cerimônia.

O prefeito Heraldo Trento agradeceu a instituição pelas parcerias já firmadas e os grandes projetos em tratativas e planejamentos, inclusive, como presidente do Conselho de Municípios Lindeiros, de modo a contribuir significativamente para o desenvolvimento de todas as cidades ao entorno do Lago de Itaipu.

Ao final, após os pronunciamentos oficiais, as autoridades foram conduzidas pela gestora ambiental municipal, Aline Priscila de Souza, ao plantio de mudas de árvores das espécies Pau-brasil e Peroba, no Centro Náutico Marinas. Aline destacou a importância da educação ambiental na sociedade, um trabalho de grande empenho e dedicação pelos colaboradores municipais e de instituições parceiras no projeto, como a Itaipu Binacional.

Portal Guaíra via Assessoria