O Ministério Público do Paraná, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Guaíra, no Oeste do estado, ofereceu denúncia por feminicídio contra um homem de 34 anos que matou a ex-esposa dias após ela obter uma medida protetiva de urgência contra ele.

Antes do crime, a vítima já havia sido ameaçada. Ela procurou a polícia e conseguiu medida protetiva que impunha ao ex-marido que não se aproximasse dela. Mesmo assim, apesar de intimado e ciente de que não poderia procurar a ex-mulher, o acusado foi até o local de trabalho dela e a matou com diversos disparos de arma de fogo à queima-roupa.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Além da qualificadora de feminicídio, o réu foi denunciado por homicídio qualificado por motivo torpe e por recurso que dificultou a defesa da vítima. O MPPR requer ainda a causa de aumento da pena referente ao descumprimento da medida protetiva.

Portal Guaíra via Assessoria