No dia 9 de setembro foi realizada mais um encontro do projeto Sou Alfabetizador e dessa vez em parceira com a Escola Adventista, onde esteve presente o Consultório de Aprendizagem com a presença da Andreia Welffort (Fonoaudióloga / Psicopedagoga / Neuroeducadora) para uma conversa com os Educadores do Município, sobre Transtornos da Oralidade e da Escrita.

A oralidade e a escrita são duas formas de variação linguística, onde a oralidade é geralmente marcada pela linguagem coloquial (ou informal), enquanto a escrita, em grande parte, está associada à linguagem culta (ou formal).

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A correlação entre a habilidade fonológica e a aprendizagem da leitura é de alta significância para o escolar iniciante, pois se a representação fonológica não se encontra assimilada, podem ocorrer dificuldades com a aprendizagem da leitura.

A consciência fonológica e a aquisição da leitura e escrita são processos que se fortalecem mutuamente, por serem processos altamente complexos, que envolvem uma série de habilidades. Os estágios iniciais da consciência fonológica (consciência de rimas e sílabas) contribuem para o estágio de desenvolvimento inicial do processo de leitura. Entretanto, as habilidades desenvolvidas no estágio inicial da leitura contribuem para o desenvolvimento da consciência fonológica mais complexa, como a manipulação e a transposição fonêmica (Grégoire &Piérart, 1997; CapellinI & Ciasca, 1999)

Importante notar que historicamente, a fala precede a escrita, ou seja, a escrita foi criada a partir da comunicação entre os homens bem como da necessidade de registro.

De acordo com Secretária de Educação Franciele de Lima Danelon Jesus, as parcerias entre as escolas e o Projeto Sou Alfabetizador têm contribuído muito para o crescimento e o fortalecimento entre os educadores do nosso município.

Portal Guaíra via Assessoria