O Município de Guaíra está, desde o dia 22,  com cadastro aberto para novas inscrições em seu sistema habitacional.

Até agora, mais de 750 pessoas preencheram fichas e foram entrevistadas. O cadastramento pode ser realizado até o dia 26, das 08 às 19h, no Salão Multiuso. O foco dessas moradias é para pessoas com renda familiar de até 0 a R$ 1.600 e que não possuem casa própria.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Juliano de Oliveira, coordenador de Habitação, ressaltou que as famílias que fizeram cadastramento (foram mais de 2.500 pessoas) no ano passado precisam se recadastrar (para atualizar os dados), mas quem não fez naquela época tem agora uma grande oportunidade. “Aquele cadastro foi para a Cohapar, temos agora esse que vai para o governo federal. Precisamos dar uma resposta às famílias que fizeram aquele cadastro e abrir mais essa oportunidade para quem por algum motivo não pôde naquela época”, destacou.

Para se cadastrar é preciso levar RG, CPF, Certidão de Casamento (para casados) ou Nascimento (para solteiros), documento dos filhos dependentes e comprovante de renda e residência.

O prefeito Fabian Vendruscolo explicou que talvez esta seja a prioridade número 1 do governo e que todos os esforços estão sendo realizados no sentido de viabilizar o maior número de casas possíveis. “Sabemos que criar expectativas na população é algo muito delicado. Mas, para acessar essas moradias não temos outra alternativa. O processo que estamos obriga que organizemos esse cadastramento, que façamos assembléia e toda uma mobilização por parte da sociedade”, explicou, referindo-se nesse caso ao modelo que está sendo intermediado pela entidade social UMP/PR na modalidade Minha Casa Minha Vida – Entidades.

O representante da entidade, Paulo Alexandre Lourenço Jesus, explicou que tem privilégio aqueles que mais necessitam. “Guaíra é um  laboratório dos mais complexos do Paraná e nosso foco são as famílias mais necessitadas. Entra nesse processo pessoas que nem podem comprovar renda, moradores de rua e famílias de baixo poder aquisitivo. O primeiro passo é mobilizar famílias sem teto e depois de identificar a necessidade passar toda a documentação para a Caixa fazer a triagem. A nossa briga é para conseguir o maior número de casas possíveis”, disse.

O governo só se posicionará (no sentido de quantas casas serão disponibilizadas para a cidade) após todas estas etapas estarem concluídas.

???????????????????????????????

Portal Guaíra com informações da Assessoria