Lígia Lumi Tsukamoto Suga (DEM), vereadora
ad

[dropcap color=”#dd9933″]A[/dropcap] vereadora Lígia Lumi Tsukamoto Suga (DEM) foi eleita na segunda-feira (10)  a nova presidente da Câmara de Guaíra. Ela venceu o vereador Alécio Moroni (PSD) com 06 dos 11 votos.

Pouco antes da votação, Alécio, que foi eleito por um partido da base governista, agradeceu o apoio da bancada de oposição e retirou sua candidatura. Contudo, obteve o apoio prometido. Marlene Dallacosta, Osvaldino da Silveira, Sandro Sabino Borges, Elza Romoda e Agnaldo Tadeu cumpriram o combinado e garantiram cinco votos. Elza e Agnaldo, do PT e do DEM respectivamente, também foram eleitos dentro da coalização que elegeu o prefeito Heraldo Trento, mas encontraram maior identificação com o grupo de oposição na Câmara.

O acordo para eleger Alécio, porém, foi por água abaixo por conta da retirada e do voto do próprio Alécio: ele votou em favor de Lumi, assim como obviamente a própria vereadora, Sérgio Arruda Viana, João Batista Ilhéus, Gilmar Soares da Fonseca e do atual presidente Carlos Magno Paredes Czerwonka.

Com isso, o placar ficou 6 a 5 para o grupo de situação. O prefeito Heraldo Trento acompanhou a sessão de camarote. A bancada parlamentar do prefeito tem encontrado dificuldades extras desde o início do mandato. Os partidos de sua base eleitoral fizeram 7 vereadores, mas apenas seis têm apoiado o governo. O PT, que fez dois, está dividido. Elza, a vereadora mais votada e presidente no exercício 2017, rompeu com o governo antes mesmo do mandato ter início. Sentindo-se preterida na disputa pela presidência em 2017, acabou encontrando apoio na oposição. Venceu a disputa e manteve-se aliada ao grupo.

Porém, a situação, que perdeu em 2017 e triunfou em 2018, voltou a emplacar mais um aliado.

Alécio, que segundo os discursos dos vereadores estaria com acordo firmado com a oposição, ficou dentro da base governista, palanque no qual foi eleito pelo PSD.

A nova presidente

Lígia Lumi Tsukamoto Suga está no seu primeiro mandato e tem sido uma vereadora atuante: representante da tradicional colônia japonesa, Lumi é uma das principais interlocutoras do governo e tem excelente relação com os secretários e com o prefeito. Era a favorita e o nome pretendido pela base em 2017, o que gerou um atrito interno com Elza, que por ser a mais votada, entendeu que merecia ter ao menos o nome cogitado.

Seja como for, será a segunda mulher no comando da Casa de Leis, após o mandato de 2018 de Czerwonka. O atual presidente, aliás, compareceu à votação e solicitou sua retirada por problemas pessoais.

No último sábado, o vereador, que é policial da reserva, acabou assassinando Jackson Del Vecchio, após uma briga de trânsito. O rapaz alvejado sacou uma arma e foi atingido por duas vezes pelo sargento da PM aposentado. Como agiu em legítima defesa, responderá em liberdade.

PT e DEM

Apesar das dificuldades com Elza do PT, o DEM de Heraldo costurou uma aliança com o partido. João Batista Ilhéus será o primeiro secretário. Os demais membros da mesa diretiva são filiados ao partido do prefeito, que fez três vereadores e se firmou como a principal força política do município na atualidade.

A mesa diretora da Câmara de Vereadores para o ano de 2019 ficou assim composta:

Presidente: Lígia Lumi Tsukamoto Suga (DEM)

Vice-Presidente: Sergio Arruda Viana (DEM)

1º Secretário: João Batista Ilhéus (PT)

Membro Suplente: Gilmar Soares da Fonseca (DEM)

Portal Guaíra com informações do Expresso44


CLINICA SALUTAR