ad

A invasão de índios da aldeia Tekohá Yvyraty Porã à Fazenda São Paulo, na Vila Guarani, na segunda-feira (18), foi uma resposta dos silvícolas à falta de assistência da prefeitura à população indígena.

Segundo eles, a aldeia não está recebendo devidamente os serviços básicos, como alimentação, saúde, educação, moradia e saneamento pelo poder público.

Os índios, informaram durante reunião com o MPF (Ministério Público Federal) de Guaíra/PR, que as cestas básicas entregues pela Funai (Fundação Nacional do Índio) e Prefeitura de Terra Roxa, além de serem insuficientes, têm atrasado até 60 dias, quando deveriam ser entregues a cada 30 dias.

Em razão dessa falta de assistência, os alimentos e recursos da aldeia são insuficientes para todos os moradores, que se veem obrigados a formar novos grupos e partir em busca de uma nova terra.

Além disso, os índios entendem que a fazenda ocupada pertence a eles, uma vez que seus antepassados teriam sido enterrados no local.

Leia também
Guaíra – Polícia Federal apreende armas, documentos e planejamento de invasão indígena

No entanto, a Funai ainda está fazendo estudos sobre a demarcação de terras indígenas e até que eles sejam concluídos os índios se comprometeram a não invadir as propriedades rurais, porém acabaram violando o acordo.

Apesar de existir um protocolo na Justiça, os índios garantem que se os problemas de falta de assistência não forem resolvidos, não estão descartadas novas ocupações.

O MPF, por sua vez, informou que diligenciará e tomará as providências necessárias para cobrar Funai e prefeitura à prestação dos serviços públicos, visando a atender às principais reivindicações dos indígenas.

Fonte: O Paraná
Foto: Aílton Santos/O Paraná


CLINICA SALUTAR