Médico do Paraná, conhecido como Doutor Faz-Tudo, é acusado de erros médicos (imagem reprodução do Fantástico)

Na noite deste domingo (20), o Fantástico, programa apresentado na Rede Globo de Televisão, mostrou reportagem especial sobre as denúncias contra o médico que atende no Hospital Beneficente AssisteGuaíra.

Segundo a reportagem, moradores de Guaíra estão assustados com o número de pacientes que tiveram problemas após serem atendidos na casa hospitalar, particular, conveniada ao SUS (Sistema Único de Saúde). Pelo menos 33 pessoas disseram ter complicações graves após passarem por cirurgia. No ano passado três delas morreram, sendo todas pacientes do Dr. Paulo Marcelino Andreolli Gonçalves – conhecido como ‘Doutor Faz Tudo’.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O AssisteGuaíra é hoje o único Hospital da cidade e, há dois anos, a empresa da mulher do Dr. Paulo foi contratada pela Prefeitura para administrar o quadro de funcionários do Hospital e ele foi nomeado diretor clínico.

O Fantástico diz que, mesmo o Dr. Paulo não tendo nenhuma especialidade, nem um título de cirurgião, desde que assumiu o cargo ele foi responsável por mais de 90% das operações feitas no Hospital. É como se a cidade inteira estivesse nas mãos do ‘Doutor Faz Tudo.’

Ana denunciou o médico na polícia. Ela ia fazer uma cirurgia de retirada do útero, mas desistiu ao suspeitar da conduta do Dr. Paulo. Segundo ela, já na mesa de cirurgia o médico viu que não havia bisturi esterilizado e disse para deixar a operação para o dia seguinte.

“O que me fez desistir da cirurgia, foi que eu vi uma moça sendo operada sem anestesia”, contou Ana Leite ao repórter da Rede Globo.

Dona Laídes do Carmo Brito, de 63 anos, foi internada para retirar pedras da vesícula em novembro de 2018 e relatou. “Mas ele não deu anestesia completa em mim”. Falei “Doutor Paulo, para, não tira mais nada que eu não estou aguentando a dor”. “Daí ele pegou e me deu um remédio para tirar a dor, eu estava gemendo e não podia andar, ele falou pra eu ir pra casa” indignou-se.

Depois de uma semana, com muitas dores, Laídes voltou ao Hospital, que não tem UTI e nem banco de sangue.

“Doutor olha o tamanho do abdômen dela. Olhe a cor dela. Não! [disse o Dr. Paulo] Está tudo bem, está tudo normal” contou Adileuza Pereira que é amiga de Laídes. “Se ela ficasse mais um dia no AssisteGuaíra ela morreria” completa Adileuza.

Com infecção grave dona Laídes foi internada em um Hospital de uma cidade vizinha a Guaíra.

Já Cleide, irmã da Claudinéia que deu entrada grávida, não voltou mais pra casa.

“Ela fez Cesária e Laqueadura e quando deu por volta das 14h começou a sentir muita dor, e a gente não sabia até então o que era. Ela foi levada pelo SAMU para outra cidade, mas não resistiu. Deixou cinco filhos pequenos” relata Claudineia da Silva.

Sobre esse caso, Dr. Rodrigo Nicácio, diretor do Consamu, disse que a paciente ficou com hemorragia interna grave, tardiamente diagnosticada, o que levou ao óbito.

“Toda vez que toca o telefone e é uma solicitação que a gente recebe do Hospital AssisteGuaíra, a gente já fica com receio, pois pode ser mais uma complicação. Não é razoável, não é normal que tantos problemas aconteçam, em tão pouco tempo, tendo como cirurgião o mesmo médico” comenta Dr. Nicácio.

A morte da jovem chamou a atenção das autoridades, como a Regional de Saúde de Toledo, onde a diretora Nissandra Karsten contou ao Fantástico  que no prontuário consta registro da enfermagem de que o Dr. Paulo fez a laqueadura, porém ele não tem habilitação. Nem o médico e nem a instituição.

A diretora também pesquisou os processos contra o médico e relatou “Não é um histórico, é um livro preto. É cabuloso. Eu me assustei”.

Ainda segundo a reportagem do Fantástico, o Dr. Paulo responde a uma série de processos na Justiça. Já foi condenado pela morte de um bebê de quatro meses em 1995, por complicações em uma cirurgia de hérnia, quando atuava em Campina da Lagoa, também no Paraná.

A pena de dois anos foi convertida em serviços comunitários.

O ‘Dr. Faz Tudo’, como é chamado várias vezes na reportagem, também é alvo de quatro investigações do Ministério Público do Paraná, por irregularidades na prática médica. E chegou a ter o registro de médico suspenso duas vezes, pelo Conselho de Medicina, por danos a pacientes.

Além disso, quando era prefeito da cidade de Campina da Lagoa foi processado 25 vezes por questões ligadas a sua gestão. Já foi condenado em cinco processos, mas recorreu.

O Fantástico foi até o Hospital para ouvir o Dr. Paulo. Questionado, ele disse que é Clínico Médico Geral, porém sem nenhuma especialidade.

Dr. Paulo confirmou ter feito a cesária na paciente Cleide [que morreu], mas negou que tenha feito Laqueadura. E caso exista uma investigação e seja comprovado negligencia de sua parte, ele está ai para responder criminalmente e civilmente.

Sobre estar preocupado com mais de 30 pessoas que estão reclamando e denunciando, além de três pessoas que atribuem a morte de familiares ao Dr. Paulo, ele disse não ter conhecimento. E sobre ser chamado na cidade de Guaíra como ‘Dr. Faz Tudo’, disse que faz tudo que lhe compete, o que a consciência manda para bem do paciente.

O Conselho Regional de Medicina do Paraná diz que está apurando as denúncias.

O Hospital nega qualquer irregularidade, e diz através do seu diretor, que oficialmente não tem essas revelações por escrito. Leia aqui a nota enviada a imprensa pelo AssisteGuaíra.

Heraldo Trento, prefeito da cidade de Guaíra, e que foi paciente do médico, também foi procurado pela reportagem do Fantástico e disse que quando utilizou dos serviços do AssisteGuaíra, inclusive do médico que está sendo denunciado, foi bem atendido, sem problema algum.

Quando questionado sobre se aceitaria ser operado pelo médico, mesmo sabendo que ele não é cirurgião, Heraldo hesitou e disse que não sabe, mas acha que não.

Na última sexta-feira, conforme publicado pelo Portal Guaíra, a prefeitura pediu ao Hospital AssisteGuaíra o afastamento imediato do Dr. Faz Tudo [Leia aqui a nota de afastamento]. O prefeito Heraldo pediu ainda que a empresa apresente manifestação acerca das denúncias recebidas, esclarecimentos necessários e a apresentação de documentos porventura existentes a fim de esclarecer a veracidade dos fatos.

Portal Guaíra com informações da reportagem do Fantástico