A prisão e extradição de um cacique da aldeia Tekora Mirim, de Guaíra, realizada na quinta-feira (14), gerou um clima de indignação no município.

Conforme a Organização Nacional de Garantia ao Direito de Propriedade (ONGDIP), o cacique, até então identificado como Arnaldo Dias, era considerado foragido do Paraguai e procurado pela Polícia Nacional daquele país há vários anos.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Em publicação feita em um perfil da rede social, a ONGDIP afirma que o nome verdadeiro do cacique seria Rolando Diaz Yegros e que o mesmo seria natural do Paraguai, e não brasileiro. Segundo a entidade, ele teria falsificado a documentação para permanecer no Brasil como indígena.

Questionamento

A entidade chama atenção para as falsificações de identidade e questiona se a propriedade na qual o cacique estava será devolvida aos antigos donos.

As informações são do O Presente