O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil aumentou 47,5% nos últimos 20 anos, aponta uma pesquisa realizada pela ONU em 185 países.

Os dados apresentados na segunda-feira (29) pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) sobre o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) mostram “melhora significativa” nos indicadores brasileiros, segundo o coordenador do sistema Nações Unidas (ONU) no Brasil e representante do Pnud no país, Jorge Chediek.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O IDHM faz parte do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013, ferramenta online de consulta do índice municipal e de mais 180 indicadores, construídos com base nos Censos de 1991, 2000 e 2010. O atlas foi produzido pelo Pnud em parceria com Instituto de Pesquisa  Econômica Aplicada (Ipea) e a Fundação João Pinheiro.

Guaíra

De acordo com os critérios da pesquisa, a cidade de Guaíra está situada na faixa de Desenvolvimento Humano Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799). A cidade de fronteira ficou com o índice de 0,724. Entre 2000 e 2010, a dimensão que mais cresceu em termos absolutos foi educação (com crescimento de 0,094), seguida por renda e por longevidade. Entre 1991 e 2000, a dimensão que mais cresceu em termos absolutos foi educação (com crescimento de 0,266), seguida por longevidade e por renda. O documento também mostra que Guaíra teve um incremento no seu IDHM de 50,83% nas últimas duas décadas, índice acima da média de crescimento nacional (47,46%) e acima da média de crescimento estadual (47,73%).

O estudo também aponta que a cidade ocupa a 1.191ª posição em relação aos 5.565 municípios do Brasil. Em relação aos 399 outros municípios de Paraná, Guaíra ocupa a 105ª posição, à frente da vizinha Terra Roxa, mas atrás de Mercedes e Marechal Cândido Rondon, que, aliás, teve um dos melhores índices do estado.

Mortalidade infantil

De acordo com a pesquisa, a mortalidade infantil (mortalidade de crianças com menos de um ano) em Guaíra reduziu 23% nas últimas duas décadas. A esperança de vida ao nascer aumentou 7,7 anos, passando de 67,4 anos em 1991 para 71,1 anos em 2000 – e 75,2 anos em 2010.

Renda

Uma das maiores conquistas, especialmente entre 2000 e 2010, esteve no orçamento. A renda per capita média de Guaíra cresceu 118,97% nas últimas duas décadas, passando de R$363,44 em 1991 para R$502,14 em 2000, e daí para R$795,84 em 2010. A taxa média anual de crescimento foi de 38,16% no primeiro período (1991 -2000) e 58,49% no segundo (2000-2010).

A extrema pobreza (medida pela proporção de pessoas com renda domiciliar per capita inferior a R$ 70,00) passou de 11,71% em 1991 para 7,92% em 2000 e então para 3,47% em 2010.

Para o prefeito Fabian Vendruscolo, os dados são significativos. “Os números confirmam o que já sabíamos. O crescimento nacional é visível nos últimos anos. Nos últimos dez anos, por exemplo, com o governo PT, tivemos um salto na diminuição da desigualdade social, com um aumento da renda per capita. Guaíra não ficou longe desse processo, tendo retomado o crescimento, inclusive o populacional, como pudemos ver no Atlas 2013. Os atlas podem e devem ser usados como instrumentos para o planejamento, pois o documento dá dicas do que precisa ser feito. Eu desejo que ele vire um instrumento para construção de um município melhor”, concluiu.

Mais informações podem ser acessadas no http://www.atlasbrasil.org.br/2013/perfil/guaira_pr

guaira_brasao

Fonte: Assessoria