[dropcap color=”#81d742″]A[/dropcap] Associação Assistencial de Guaíra, entidade privada de utilidade pública municipal sem fins lucrativos constituída pela população de Guaíra em 13/03/1967 inicialmente para constituir e manter o Lar São Francisco de Assis municipalizado em 2013, e a partir de 15/03/2016 para constituir e manter o Hospital Beneficente ASSISTEGUAÍRA.

Diante das denúncias realizadas na reportagem da RPC Paraná no último dia 20/01/2019 e das consequências de sua repercussão junto as demais meios de comunicação, sociedade e para nosso hospital, bem como, em razão da decisão pelo Município de Guaíra de comunicar ao seu atual fornecedor de serviços médicos plantonistas que atuam junto ao hospital, a suspensão da atuação do médico denunciado, visando atualizar informações a sociedade e aos serviços de controle e avaliação, prestamos as seguintes informações.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A contratualização e consolidação dos membros do corpo médico sempre foi o maior desafio do nosso hospital e dos demais estabelecidos em municípios de pequeno porte em nosso País, como sabemos os médicos relutam fixar residência e a se comprometer com hospitais igualmente de pequeno porte, nossa entidade foi convocada em 2016 pelo Município de Guaíra, para mudar seu objeto social do setor de educação infantil para atuar na atividade de assistência hospitalar, pois naquele ano o ultimo hospital privado municipal encerrou suas atividades, e diante da crise emergencial local e da rede hospitalar da 20ª Regional de Saúde, o Município entendeu ser inviável a constituição de um hospital público municipal pois naquele ano estava implantando a UPA municipal, que como sabemos precisa de uma unidade hospitalar para obter a resolutividade da rede de saúde local.

Assim foi feito tudo com ciência do MPEPR representado na comarca e apoio da SESAPR/20ªRS, nestes 25 meses após iniciar as atividades em 01/12/2016, foram superadas a primeira crise financeira em 2017, quando a sociedade de Guaíra se uniu de forma inédita fazendo doações e eventos que resultaram em receitas operacionais que permitiram o eficiente atingimento de todas as metas patrimoniais de reforma e adequação do prédio alugado, compra de móveis e equipamentos, onde se destacam a rede de gases medicinais e de climatização em todos os ambientes inclusive nas enfermarias, sendo o único hospital da história de Guaíra que obteve o alvará sanitário em 2017. Em 2019, a realidade financeira está estabilizada estando a entidade adimplente com todas as suas obrigações e inclusive credenciada pelo CEBAS/MS em 2018.

Mas continuamos com a dificuldade de sempre que é consolidar nosso corpo médico, em 2017, o Município percebendo que os médicos relutavam em aceitar serem contratados diretamente pela entidade, muitos com receio e duvidando da capacidade de pagamento da entidade, decidiu como gestor pleno que é, contratar plantões médicos terceirizados cujos serviços são oferecidos junto ao hospital, o contrato ainda vigente, permitiu a estabilização do corpo médico e oferta dos serviços já divulgados na nota oficial publicada no último dia 18/01.

Esclarecemos que desde setembro de 2018, após reunião com o poder legislativo, iniciamos pesquisa para a contratação pela entidade da equipe médica necessária, mas diante dos preços apresentados pelos proponentes os gastos mensais foram estimados em R$ 200.000,00, despesa de alta monta, mesmo assim, por duas vezes estivemos na eminência de formalizar os contratos, mas fomos obrigados a recuar em razão da insegurança de que a nova equipe não ofereceria a cobertura 24 horas ininterrupta e o comprometimento necessário com o hospital.

Externamos o nosso reconhecimento aos médicos que atuam no hospital contratados pelo Município, responsáveis por viabilizar mais um hospital num País em que a direção oposta “fechar hospitais” é mais comum. Mas diante das consequências das denúncias a imagem do hospital do povo guairense, que esperamos sejam devidamente reparadas oportunamente, precisamos urgentemente retomar a normalidade para dar a segurança e tranquilidade necessárias para nossos colaboradores e pacientes.

Neste sentido, visando o pleno esclarecimento aos interessados, informamos que as medidas tomadas são as seguintes:

– Será feita a contratação direta pela entidade de todos os membros do corpo médico necessário, estando autorizado a contratação imediata desde que atendidas as exigências de qualificação dos profissionais e observado a capacidade de pagamento da entidade;

– Os pacientes internados estão sendo atendidos pelos médicos clínicos que cumprem a escala de plantões, e os procedimentos de parto ou cesárea serão encaminhados ao hospital de referência em Toledo;

– Em relação a utilização do centro cirúrgico, as mesmas serão utilizadas apenas para procedimentos ortopédicos e vasculares, realizados por médicos credenciados e que referenciam suas cirurgias para nosso hospital;

Concluímos, ressaltando que a entidade entende ter cumprido com sua missão de fazer a transição desde a crise hospitalar de 2016 até os resultados apresentados em seus 25 meses, mas que se a SESAPR, a Itaipu Binacional ou o Município de Guaíra, decidirem pela instalação de um hospital público de referência em Guaíra, seremos os principais apoiadores, enquanto isto, reafirmamos nosso compromisso de continuar UNINDO FORÇAS EM FAVOR DA VIDA, que é o lema do nosso hospital, e de atuar de forma que nos próximos 30 dias esteja concluída a contratualização da nova equipe médica.

Portal Guaíra via Assessoria