ad

O Município de Guaíra por intermédio da Secretaria Municipal de Saúde anuncia que no dia 21 de setembro haverá atendimento especial, das 08 hs às 16 hs, na Sala de Vacinas Central, UBS Vila Alta, UBS Jd. Zeballos, UBS Jd. Futura, UBS Santa Paula, UBS Eletrosul, UBS Bela Vista e UBS Oliveira Castro, para intensificar a vacina contra o sarampo.

Sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal. Sua transmissão ocorre quando a doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Após quase três anos considerado erradicado no país (em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde o certificado de eliminação da circulação do vírus), o agente causador do sarampo voltou a circular no Brasil. Entre os principais motivos, está a queda na adesão à vacina. “Há grupos, sem nenhuma lógica científica, que fazem campanha contra vacinas”, explica o infectologista David Uip.

“A vacina tríplice viral – que além de proteger contra o sarampo, também protege contra caxumba e rubéola – deve ser tomada a partir do primeiro ano de vida. São duas doses — aos 12 e 15 meses de idade -, mas quem não tomou, pode e deve complementar a proteção até os 49 anos de idade. De acordo com o infectologista, a baixa adesão à segunda dose contribui para a volta da doença, uma vez que garante eficácia de 97% da imunização.

Apesar de ter uma vacina segura e ofertada gratuitamente nos postos de saúde públicos de todo o país, até julho deste ano, mais de 350 casos de sarampo foram diagnosticados somente no estado de São Paulo. No Paraná mais de 10 casos foram confirmados. Entre os principais sintomas da doença — cuja duração varia de três a cinco dias — estão febre alta, mal-estar, prostração e vermelhidão na pele. Alguns casos de sarampo podem evoluir para complicações sérias, como meningite e pneumonia virais — além de complicações bacterianas, como pneumonia e sinusite.

Extremamente contagioso, o sarampo é uma doença viral que pode atingir pessoas de qualquer idade que não estejam imunizadas. Como não há tratamento específico para a condição, apenas controle dos sintomas, a única forma de prevenção é por meio da vacinação. Se grande parte da população não se vacina de maneira adequada, fica vulnerável. Além de imunizar individualmente, a vacinação tem efeito de proteção em massa: quem estiver protegido, não transmite a doença.

PÚBLICO ALVO:
– Crianças entre 6 e 11 meses e 29 dias de idade: Todas as crianças nesta faixa etária devem receber 1 “Dose adicional” da vacina Tríplice Viral. Esta dose adicional, chamada dose “ZERO” é realizada somente no período de intensificação do sarampo (Campanha), devendo ser realizadas outras duas doses aos 12 meses e aos 15 meses de idade.

– Pessoas de 1 a 29 anos 11 meses e 29 dias de idade: Devem ter o registro de 2 doses da Vacina do Sarampo, caxumba e Rubéola (Tríplice Viral);

– Pessoas de 30 a 49 anos 11 meses e 29 dias de idade: Devem ter o registro de 1 dose da vacina do Sarampo, Caxumba e Rubéola (Tríplice Viral);

– Profissionais da Saúde: Devem ter 2 doses da vacina Sarampo, Caxumba e Rubéola (Tríplice Viral) documentadas, independentemente da idade;

– Quem comprovar 1 ou 2 doses de vacina conforme preconizado pela sua faixa etária, não precisa se vacinar novamente;

– Observação: Mulheres não vacinadas e que estejam amamentando, devem ser vacinadas de acordo com sua faixa etária.

” LEMBRE-SE DE TRAZER A CARTEIRINHA DE VACINAÇÃO”.

Portal Guaíra via Assessoria