PLANTAO-PGAcolhendo representação do Ministério Público do Paraná, o juízo da Vara Criminal de Guaíra, decretou, nesta semana, a prisão preventiva de Walter Blahun, 53 anos, acusado de matar um rapaz e ferir outras três pessoas durante uma tradicional festa da cidade, em 2010. O mandado de prisão foi cumprido na manhã de sexta-feira (5), pela Polícia Federal (PF).

De acordo com o MP, a prisão preventiva foi decretada para garantir a ordem pública, dada à gravidade e à grande repercussão do fato, e para preservar o andamento do processo, já que o acusado, um servidor público conhecido na cidade, tem se negado a colaborar com a Justiça, inclusive se utilizando de artifícios para tentar aumentar o tempo do processo.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O caso

Segundo a denúncia do MP, em outubro de 2010, o funcionário público participava de uma comemoração na cidade, em meio a diversas famílias, quando seu filho foi confundido com um garçom. Irritado, e após discussões, o servidor municipal atirou contra Edson Fernando Groff de 19 anos, que estava com o grupo que confundiu seu filho. Além disso, feriu outras duas pessoas, que estavam com a vítima, e um familiar que tentou contê-lo durante a confusão.

O Ministério Público entendeu que houve o concurso de três circunstâncias qualificadoras nos crimes de homicídio (consumados e tentados): dificuldade de defesa para as vítimas, futilidade e geração de perigo comum.

Além do decreto de prisão preventiva, a Vara Criminal de Guaíra determinou que o acusado seja submetido a julgamento perante o Tribunal do Júri. Se condenado, ele poderá ser sentenciado a pena de até 60 anos de reclusão.

Portal Guaíra com informações do MP-PR