CUMPRIMENTO DE MANDADO JUDICIAL

Por volta das 3h, a equipe de serviço da Polícia Militar foi informada que tinha um cidadão, de posse de um martelo próximo as lojas. O suspeito foi abordado pelos policiais defronte um supermercado de posse de uma machadinha. Sendo o mesmo identificado, como morador de rua. Em consulta no sistema, foi localizado um mandado de prisão.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Diante dos fatos, ele foi encaminhado ao DEPEN de Guaíra para as providências cabíveis.

LESÃO CORPORAL

Por volta das 8h15, a equipe de serviço foi acionada pela central de operações para deslocar até uma aldeia índigena, onde o conselho tutelar solicitava a presença policial para
acompanhar uma diligência. No local, o conselheiro nos relatou que foi acionado pelo cacique devido a um desentendimento entre um casal de indígenas, o qual tem um filho pequeno de 4 anos, que deveria ser entregue a avó materna. Em contato com os envolvidos, a esposa apresentando sinais de embriaguez, relatou aos policiais que durante a madrugada teve um desentendimento com seu marido, que durante esse desentendimento, este a empurrou e que ao se apoiar com a mão no chão, acabou encostando em uma fogueira, causando uma pequena queimadura num dos dedos, que após o fato o autor teria retornado para casa onde se encontrava o filho do casal e a vítima permaneceu no local com alguns amigos.

Diante dos fatos, foi realizado contato com o investigador da Polícia Civil, o qual orientou a qualificar ambos e orientar a vítima a comparecer na delegacia, caso tenha interesse em
representar contra, devido a condição de embriaguez da vítima e ao fato da lesão ter sido leve, simultaneamente a isso, o conselheiro tutelar realizou a entrega do filho do casal, a
sua avó materna, realizando os demais procedimentos necessários.

AMEAÇA

Por volta das 11h, a equipe policial de serviço, em atendimento a central de operações, deslocou ate o salão de beleza, onde a solicitante relatou que estava no seu local de trabalho, quando um cidadão desconhecido, estatura mediana, magro, usando tênis e boné preto, camiseta vermelha, calça jeans, e com tornozeleira eletrônica, entrou e perguntou quem era. Ela se apresentou e questionou quem é e como a conhece e no que podia ajudar. Ele não quis se identificar e falou somente que queria fazer as sobrancelhas, foi então comunicado que não seria possível, pelo fato dos horários já estarem todos reservados neste momento. O cidadão se alterou e em tom de ameaça, disse que era para ela fazer o serviço e fazer bem-feito, caso contrário ela iria se arrepender. Disse ainda que conhece toda a sua família e que na verdade queria somente para ver o seu corpo.

Diante da recusa, ele saiu do estabelecimento e se evadiu em uma bicicleta, mais antes ainda, em tom de ameaça, disse que retornaria.

Diante dos fatos e de posse das características do rapaz, a equipe policial realizou buscas nas proximidades, porém o autor não foi localizado. A solicitante foi orientada.

LESÃO CORPORAL
Por volta das 17h, uma equipe policial de serviço, em atendimento a central de operações, deslocou-se até o local da ocorrência, onde a solicitante relatou que seu ex-padrasto (moram na mesma residência), chegou em visível estado de embriaguez e muito agressivo. Após discussão verbal, ele a agrediu fisicamente, apertando o seu pescoço com força tentando enforcá-la. Neste momento para preservar a sua integridade física, ela deu um soco nele, o que causou um edema ao redor do olho esquerdo.

Na presença da equipe policial, o cidadão continuou agressivo e por diversas
vezes alterou a voz e usou palavras de baixo calão tais como “biscate e vagabunda” e
ainda a ameaçou de morte.

Diante dos fatos, foi dado voz de prisão ele. Ambos foram encaminhados ao 3º Pelotão da Polícia Militar para a elaboração do boletim de ocorrência e na sequência entregues na 13ª Delegacia Regional de Polícia Civil para a continuidade dos trâmites legais.

Redação Portal Guaíra