O Consórcio Intermunicipal da Costa Oeste do Paraná (Ciscopar) realizou entre os dias 04 e 06 de julho uma campanha de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis em oito comunidades indígenas do município (Guarani, Mirin, Marangatu, Tatturí, Jevy, Porã, Carambeí e Y´Hovy).

A iniciativa partiu do Ciscopar, que contatou uma enfermeira do Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena). A campanha consistiu em fazer orientações sobre DSTs junto aos índios e os exames de sífilis, HIV e hepatites B e C, realizando assim a coleta convencional, devido à falta estrutura física compatível à realização do teste rápido.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

De acordo com o relatório do Ciscopar, a importância de tal serviço nas comunidades se deve aos seguintes fatores: muitas pessoas nunca realizaram os exames, muitas não conhecem as DSTs em geral e a grande média de índios e índias iniciarem sua vida sexual precocemente.

ciscopar-01

O documento também ressalta a interação com as comunidades, já que os agentes participaram de algumas apresentações e ritos das comunidades indígenas, como danças, orações e músicas. “Foi de grande relevância essa participação e troca cultural para a criação de vínculo entre o Ciscopar e a comunidade, favorecendo futuros serviços que poderemos realizar”.

A ação contou com o apoio de acadêmicos da Fasul (Faculdade Sul Brasil) e da Secretaria Municipal de Ação Social, que disponibilizou agentes comunitários de saúde para auxiliar as atividades. A direção dos trabalhos ficou por conta da coordenadora do Ciscopar, Susana Guizzo, e da enfermeira do Sesai, Cristiane Gomes.

Durante os três dias, mais de 600 índios puderam receber orientações. Além disso, foram coletados 240 exames e distribuídos 7.200 preservativos masculinos e 300 preservativos femininos.

ciscopar-02

ciscopar-03

ciscopar-04

ciscopar-05

ciscopar-06

Fonte: Assessoria