Ação contou com total apoio da Polícia Civil de Guaíra

ad

[dropcap color=”#dd3333″]N[/dropcap]esta sexta-feira (2), dando continuidade as investigações referentes a roubos de veículos no Estado do Rio Grande do Sul e que estariam sendo trazidos para a cidade de Guaíra, para então serem levados e vendidos em Salto Del Guairá, no Paraguai, uma equipe de Policiais daquele Estado esteve na Delegacia de Polícia Civil de Guaíra (13ª DRP) de posse de informações referentes a outro veículo, fruto de furto/roubo, que estaria estacionado defronte um hotel nas proximidades da Ponte Ayrton Senna, e que os suspeitos de cometerem os crimes estariam hospedados naquele local.

Leia Também:
Guaíra – Policiais apreendem em hotel da cidade quatro veículos com alertas de furto/roubo no RS

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Diante dos fatos, uma equipe de investigadores da Polícia Civil de Guaíra deu total apoio aos comissários do RS e foram até o local.

No hotel, após autorização dos responsáveis, os Policiais anunciaram a abordagem.

No quarto, além dos homens, foram encontradas as chaves de um veículo MMC/Pajero e outro veículo Chevrolet, sendo que nenhum dos três individuos que estavam no apartamento assumiu estar com a Pajero.

Também foi encontrado no estacionamento a caminhonete GM/S10 que transportava na caçamba uma moto Yamaha/YZF com placa de Lajeado/RS, mas nada de anormal foi constatado com ambos veículos. Já as chaves da Pajero coincidiram com o veículo que estava estacionado defronte ao hotel, sendo que após checagem, foi constatado se tratar de produto de furto no Estado do RS. E, conforme informações, o módulo de uma L200 bateu com mais um veículo furtado naquele Estado.

Diante dos fatos os três homens receberam voz de prisão e juntamente com os veículos foram encaminhados à Polícia Civil de Guaíra.

Na mesma ação foram apreendidos 02 relógios, 06 celulares (02 Samsung, 03 Iphone, 01 Blu), 01 corrente e 01 pulseira na cor dourada.

Vale lembrar que vários videos e imagens circularam nas redes sociais e Whatsapp indicando que os presos seriam ladrões de banco, o que logo foi desmentido e esclarecido pelo setor policial da fronteira.

Redação Portal Guaíra