Os policiais federais decidiram suspender a paralisação prevista para começar nesta quarta-feira (22), em todo o Brasil.

A decisão foi tomada durante uma videoconferência realizada na noite de terça-feira (21), com a participação de todos os 27 sindicatos regionais.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O motivo da greve seria a concessão de benefícios pelo Governo Federal aos delegados, sem estendê-los para os demais policiais, por meio da Medida Provisória 657/2014.

Entretanto, segundo a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), a categoria decidiu suspender o movimento após a intervenção do ministro interino da Casa Civil, Valdir Simão, e do ministro da Secretaria de Relações Internacionais, Ricardo Bezoini, com o objetivo de tentar solucionar a situação.

Em comunicado à categoria, o Governo Federal ressaltou que “o texto da Medida Provisória 657/2014 não altera os requisitos para ocupação dos cargos comissionados atualmente ocupados por agentes, escrivães, papiloscopistas, peritos e servidores administrativos da Polícia Federal”.

Segundo a nota, uma reunião já foi marcada para a quarta-feira (29), com a participação de representantes dos ministérios da Justiça e do Planejamento, Orçamento e Gestão e da Casa Civil, para discutir as atribuições dos cargos e reestruturação da carreira.

Confira a nota do Governo Federal

À Federação Nacional dos Policiais Federais

Em atenção aos pleitos formulados por esta entidade, informamos que o governo federal reafirma o compromisso de valorização dos servidores que compõem a carreira Policial Federal e do Plano Especial de Cargos de Departamento de Polícia Federal.

Nesse sentido, reiteramos o compromisso de realizar todos os esforços possíveis para a aprovação da Medida Provisória 650/2014, cujo texto garante o reconhecimento do nível superior para todos os cargos da carreira Policial Federal, bem como assegura o reajuste salarial dos cargos de agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal.

Também reiteramos o compromisso de adotar medidas para esclarecer que o texto da Medida Provisória 657/2014 não altera os requisitos para ocupação dos cargos comissionados atualmente ocupados por agentes, escrivães, papiloscopiostas, peritos e servidores administrativos da Polícia Federal.

Por fim, assumimos concluir o mais rápido possível a discussão sobre atribuições dos cargos e reestruturação da carreira por meio dos grupos de trabalho técnicos compostos pelos representantes dos servidores do Departamento de Polícia Federal. Neste sentido, já agendamos reunião na próxima quarta-feira, dia 29/10, após a apreciação da Medida Provisória 650/2014 pelo Senado Federal, com a participação de representantes dos três órgãos signatários desta nota, para aprofundamento das discussões.

Ministério da Justiça, Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e Casa Civil da Presidência da República.

POLICIA-FEDERAL-DE-GUAIRA

Fonte: A Tarde