A Polícia Civil deve concluir nesta semana o inquérito que investiga o desaparecimento de Rubens Biguetti e Kawane Cleve, em Goioerê, no noroeste do Paraná.

Os dois desapareceram misteriosamente no dia 3 de agosto e o caso só foi descoberto porque o filho dos dois, um menino de três meses, estava abandonado na região da casa em que eles viviam. O bebê não estava ferido e então a busca pelos dois foi iniciada.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Ao longo da investigação e das primeiras 96 horas não houve pedido de resgate das vítimas e descaracterizou a extorsão mediante sequestro. A prisão de uma das suspeitas e vizinha do casal levou à apuração dos fatos para outra linha: o duplo homicídio.

A Polícia Civil acredita que o desaparecimento e execução dos dois possa estar ligada a vingança, mas ainda não é possível afirmar o que realmente aconteceu e a ordem cronológica dos fatos.

Os quatro presos – uma mulher e três homens, negaram qualquer envolvimento com o sumiço de Rubens e Kawane, bem como disseram não saber o paradeiro dos corpos dos dois.

Buscas foram realizadas em área de mata de três municípios, Goioerê, Moreira Sales e Nova Aurora, mas nada que pudesse levar ao paradeiro das vítimas foi localizado.

A Polícia Civil só dará início a novas buscas quando tiver informações ou denúncias sobre o caso.

O delegado responsável pela investigação, Adailton Junior, revela que se houver a necessidade de pedir novos laudos, o inquérito pode ser prorrogado por mais tempo.

Prestes a completar 90 dias do desaparecimento, a família do casal clama por Justiça e por novas pistas até chegar ao paradeiro dos dois.